Crítica 2 | Adoráveis Mulheres (Little Women, 2019)

Uma dificuldade para diretores e roteiristas ao trabalharem com filmes de época é conseguir lidar com a barreira temporal, sem que isso afete a verossimilhança da história. Se por um lado, uma linguagem moderna pode deixar a narrativa anacrônica, se prender demais ao passado pode deixar a produção datada e cansativa.  É exatamente no limiar entre essas duas zonas que Greta Gerwig (Lady Bird) caminha em Adoráveis Mulheres. Um mérito que mostra o quanto a diretora cresceu desde o seu último trabalho.

Dividindo-se em duas linhas temporais, as trajetórias que envolvem as quatro irmãs são apresentadas ao público através das lembranças de Jo. O passado da aspirante à escritora ajuda a construir a narrativa presente, algo feito pela cineasta com uma consciência absoluta sobre seu filme. Sabendo o que ela pretende, as cenas não soam gratuitas, sempre fazendo a trama avançar ou desenvolvendo novas camadas das suas personagens. E, se a montagem parece confusa em alguns momentos, a fotografia surge para ajudar a contar a história.

Emma Watson, Saoirse Ronan, and Florence Pugh in Little Women (2019)

Com isso, o roteiro — assinado pela cineasta — é capaz de se concentrar nas personagens, construindo-as com personalidade, mas sem parecer anacrônico. Nada soa forçado, nem datado. Jo não é respeitada pelo editor que publica suas histórias, Meg aceitou desistir dos palcos para poder se casar, enquanto Amy tem consciência do significado de um casamento por status. Ao mesmo tempo, Jo não abre mão da sua escrita, Meg admite que sonhar em se casar não a diminui, e Amy se mostra sempre confiante.

Cabe destacar que parte do sucesso obtido pelo roteiro, deve-se a qualidade do elenco. Saoirse Ronan é quem passa por mais mudanças ao longo da história, algo que atriz consegue demonstrar bem, confrontando os homens que a cercam, assumindo o papel de protetora perto da irmã doente ou precisando lidar com seus conflitos pessoais. E, embora seja Beth que una as personagens, é Jo quem desenvolve os embates entre elas, como no triângulo amoroso envolvendo Amy e Laurie (Timothée Chalamet).

Adoráveis Mulheres
Little Women
EUA, 2019.

Direção: Greta Gerwig.
Com Saiose Ronan, Emma Watson, Laura Dern, Chris Cooper, Timothée Chalamet, Louis Garrel, Florence Pugh e Eliza Scanlen.
135 minutos.

Emma Watson, Saoirse Ronan, Florence Pugh, and Eliza Scanlen in Little Women (2019)


 

Rodrigo Rema nasceu em Santos, é amante de cinema, assistidor de séries e filmes, estes há 25 anos, sendo frequentador assíduo das salas de exibição semanalmente, leitor de livros e internet, praticante de tênis de mesa. Admirador desde a saga Star Wars até os heróis e vilões presentes em Os Vingadores, passando pelos clássicos de terror, como O Cemitério Maldito, O Iluminado e It: A Coisa, adaptados das obras de Stephen King.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *