Os melhores desenhistas do Batman em todos os tempos

Bem… Este ano o Morcegão comemora oitenta primaveras, e esta importante efeméride me fez matutar. E eu matutei um tantinho… e matutei um “tantão”… e aí pensei: por que não fazer uma lista dos maiores desenhistas do Batman de todos os tempos? Foi o que eu fiz!

| Os melhores escritores do Batman em todos os tempos

Toda lista deste tipo é sujeita a discordâncias, e a minha não é diferente. Para minimizar possíveis polêmicas ao elaborá-la adotei alguns critérios, a saber:

a) priorizar desenhistas que trabalharam nas revistas regulares do personagem;

b) citar artistas que inegavelmente participaram de momentos históricos do Cavaleiro das Trevas

c) justificar dentro do meu conhecimento e gosto pessoal a escolha do quadrinista citado.

Dito isso… Segue abaixo a lista dos melhores artistas que desenharam o Batman!

1) Jerry Robinson


Em 1939 Jerry Robinson era apenas um moleque no começo da sua vida universitária quando foi contratado por Bob Kane para fazer o letreiramento e arte-final das aventuras de um certo Homem-Morcego lançado naquele ano pela National. De forma rápida Robinson se impôs entre os “colaboradores-fantasmas” de Kane e se tornou o responsável pela concepção visual de personagens como Robin, Coringa, Alfred e Duas-Caras,  marcando para sempre seu nome entre os maiores desenhistas do Batman de todos os tempos.

2) Dick Sprang

Dick Sprang se divertia brincando de arqueólogo amador, tanto que em 1952 foi um dos responsáveis pela descoberta de antigas ruínas indígenas localizadas entre os estados de Utah e Arizona. Mas ele ficou famoso mesmo quando entre os anos quarenta e cinquenta desenhou as aventuras do Batman, conferindo ao Cavaleiro das Trevas um indistinto visual marcado especialmente pelo “queixo quadradão” e por um largo sorriso. Mas, a despeito de queixos quadrados Sprang era um excepcional designer e storyteller, sendo responsável pela criação visual do Charada e pelo primeiro visual estilizado do Batmóvel.

3) Carmine Infantino

Em 1964 a DC Comics decidiu que o Batman deveria passar por uma reformulação visual que lhe conferisse um aspecto mais moderno. Tal tarefa coube a Carmine Infantino, um artista que nos anos anteriores se destacou trabalhando nas séries do Flash e do Adam Strange e que deu para o Homem-Morcego um visual sóbrio, sólido e elegante, no qual se destacava a hoje clássica elipse amarela ao redor do símbolo do morcego no peito do personagem.

4) Neal Adams

Dizem por ai que “gênio” é o sujeito que eleva para outro patamar os padrões de qualidade da sua área de atuação. Este é justamente o caso de Neal Adams, um brilhante desenhista que começou a desenhar o Batman no final dos anos sessenta e fez História (com “H” maiúsculo!) à frente do personagem. O seu Batman era alto, esguio e resgatava os aspectos mais sombrios do personagem na sua gênese nos anos trinta e durante muito tempo foi o modelo referencial para outros artistas que trabalharam com o Cavaleiro das Trevas.

5) Jim Amparo

De forma modesta Jim Aparo sempre afirmou que o Batman que ele desenhava era francamente inspirado no trabalho de Neal Adams, mas os fãs que acompanharam o seu trabalho a frente do Homem-Morcego nos anos setenta e oitenta – especialmente na revista The Brave and the Bold, que trazia crossovers do Cavaleiro das Trevas com outros heróis – sabem que isso nunca foi verdade! Um artista completo que fazia o lápis, nanquim e letreiramento dos gibis do qual era encarregado, Aparo sabia como poucos contar uma boa história, e não há lista de melhores desenhistas do Batman de todos os tempos em que ele não seja incluso!

6) Marshall Rogers

Na segunda metade dos anos setenta o escritor Steve Englehart realizou um “sonho de fã” ao ser convidado para escrever as aventuras Batman, porém ele não fazia a menor ideia sobre qual artista desenharia seus roteiros. Para sua sorte os editores da DC Comics escolheram Marshall Rogers, um arquiteto que abandonou as plantas para iniciar uma bem-sucedida carreira nos Quadrinhos. Com designs urbanos detalhados, excelente caracterização visual dos personagens e um excepcional senso de ação a arte de Rogers marcou uma das fases historicamente mais importantes da vida editorial do Cavaleiro das Trevas.

7) Frank Miller

Um tanque velho e enferrujado que ainda mantém a maior parte do seu poder de fogo. Essa é a minha modesta opinião pessoal sobre o Batman retratado pelo escritor e desenhista Frank Miller em Cavaleiro das Trevas, obra onde ele intencionalmente tentou se afastar do modelo do personagem preconizado por Neal Adams, desenhando um Cruzado Encapuzado de visual forte e francamente exagerado. E, se levarmos em consideração todo o sucesso e importância que “Cavaleiro das Trevas” obteve podemos afirmar categoricamente que Miller foi muito bem sucedido em seu intento!

8) Bruce Timm

O animador e produtor televisivo Bruce Timm desenhou poucas histórias em quadrinhos do Batman, mas o visual simples e anguloso que ele criou para o Cavaleiro das Trevas se espalhou para além das telinhas, influenciando centena de artistas mundo afora. E, cá entre nós: o simples fato de ter criado a Arlequina ao lado do escritor Paul Dini com certeza o faz merecedor de entrar em qualquer lista de maiores desenhistas do Batman de todos os tempos!

9) Tim Sale

Este simpático artista sempre brinca que é “cego” para cores, mas no seu caso elas sempre foram um mero complemento para um traço altamente estilizado e dinâmico, que caiu como uma luva para as minisséries O Longo Dia das Bruxas e Vitória Sombria, duas das melhores histórias do Batman publicadas nos anos noventa.

10) Jim Lee

Ele tem milhares de fãs. E milhares de detratores também! Porém ninguém pode negar que nos últimos trinta anos Jim Lee é uma das forças mais influentes da Indústria Americana de Quadrinhos e desde a publicação da saga Silêncio o visual brutal e ultra-detalhado que ele impôs ao Cavaleiro das Trevas se tornou o modelo referencial para todos os desenhistas que trabalharam com o personagem nos últimos tempos.

E, é claro, para evitar eventuais injustiças segue uma listinha de artistas que merecem ser lembrados sempre:

Sheldon Moldoff

Um dos primeiros e mais importantes desenhistas do Batman.

Irv Novick

Um dos mais clássicos desenhistas americanos de super-heróis dos anos cinquenta e sessenta.

Bob Brown

Desenhava de forma simples e sólida as aventuras do Cruzado Encapuzado nos anos sessenta.

Dick Giordano

Um mestre do nanquim, Giordano desenhou e arte-finalizou dezenas de aventuras dos Batman entre os anos sessenta e noventa.

Don Newton

Mandou bem demais ao desenhar as aventuras do Cavaleiro das Trevas entre a segunda metade dos anos setenta e início dos oitenta.

Gene Colan

Um expert no uso das sombras, Gene Colan emprestou seu talento para o Homem-Morcego nos anos oitenta.

David Mazuchelli

O seu Cavaleiro das Trevas minimalista marcou época na história Batman: Ano Um.

Jose Luis Garcia-Lopez

Porque não há personagem da DC Comics que ele não desenhe de forma excepcional!

Bernie Wrightson

Quem leu a minissérie Batman:  O Messias sabe do que eu estou falando!

Norm Breyfogle

Um dos mais dinâmicos e interessantes artistas que trabalharam com o Homem-Morcego nos últimos anos.

Graham Nolan

Um artista versátil que desenhava de forma correta qualquer tipo de história!

H. Willians III

Poucos artistas conseguem trabalhar com uma miríade de estilos diversos como J. H. Willians, e ele provou isso ao desenhar várias histórias do Cavaleiro das Trevas.

Greg Capullo

Um dos mais competentes desenhistas do Batman nos últimos anos.

Gary Frank

Mandou bem demais na graphic novel Batman: Terra Um.

Kelley Jones

O seu Batman estilizadíssimo beirava o sobrenatural. Que o diga a minissérie Batman: Chuva Rubra.


 

Analista de sistemas nas horas vagas e colecionador de quadrinhos em tempo integral, ainda encontra um tempo para participar da organização da Santos Comic Expo, principal de quadrinhos do Litoral Paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *