Os melhores filmes brasileiros de 2018

Mesmo diante da crise política e financeira nosso cinema segue firme e forte. O futuro é uma incógnita. O que não temos dúvida é da qualidade de nossa produção que, este ano, rendeu grandes trabalhos em diferentes gêneros. A seguir, um top 10 de filmes brasileiros lançados durante 2018, no circuito ou em festivais. A lista está em ordem alfabética. Muitos outros longas poderiam figurar na lista. Quem sabe, para a frente, não listamos mais alguns.


10 Segundos Para Vencer – A vida e carreira do pugilista bi-campeão mundial Éder Jofre traduzidas para a telona com elenco inspirado, especialmente Daniel de Oliveira como o protagonista e Osmar Prado vivendo o pai do lutador.

As Boas Maneiras – Juliana Rojas e Marco Dutra realizam um terror que, se não é fácil, é ousado, corajoso, que mantém a tradição do gênero ao utilizar-se do subtexto social e surpreende o espectador.

Amores de Chumbo – Retrata o amor na terceira idade ao mostrar o reencontro de um professor universitário e seu antigo amor, exilada durante a Ditadura Militar.


Benzinho – Karine Teles dá show de interpretação neste drama sobre mãe que vê o filho prestes a partir para outro país e precisa lidar com uma série de situações. Sensível, intenso, o filme de Gustavo Pizzi provavelmente é o melhor brasileiro lançado em 2018. Destaque em Gramado e no 3º Santos Film Fest deste ano.

Café com Canela – Produzido por profissionais do recôncavo baiano, exala sensibilidade e simpatia ao mostrar a história de garota que inspira sua antiga professora a superar a perda do filho.

Ferrugem – Eleito o melhor filme em Gramado, o longa de Aly Mulitiba tem elenco jovem talentoso, especialmente Tiffanny Dopke e Giovanni de Lorenzi e reflete como o cyberbullying faz vítimas tanto as pessoas que tem suas fotos vazadas, como aquelas que as rodeiam. Também destaque no 3º SFF deste ano.

Henfil – Excelente documentário dirigido por Angela Zoé prêmio da crítica no 3º Santos Film Fest e superpremiado no Cine PE, acompanha jovens desenhistas no estúdio prestando homenagem ao grande cartunista Henfil, enquanto vemos imagens de arquivo e relembramos vida e obra dele.

Legalize Já – Amizade Nunca Morre – Dos filmes mais sensíveis do ano. Exala empatia, fraternidade. Dirigido por Johnny Araújo e Gustavo Bonafé (O Doutrinador) resultou na criação da banda Planet Hemp.

O Doutrinador – Raro exemplar do cinema de ação, é baseado na história em quadrinhos homônima que mostra um vigilante ao estilo Justiceiro da Marvel que elimina políticos e empreiteiros corruptos. Não é um grande filme, mas merece lembrança pela ousadia e pelas sequências eletrizantes.


SP: Crônicas de Uma Cidade Real – Elder Fraga reúne Martin Scorsese, Quentin Tarantino e outras referências para criar algo próprio e diferente no cinema nacional: são cinco histórias que têm em comum o caos inserido na metrópole paulistana. Tem ganhado prêmios Brasil afora. A trilha sonora é do santista Umanto.

André Azenha
Jornalista, crítico de cinema, produtor cultural, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Escreve uma coluna semanal, aos sábados, para o jornal Expresso Popular, colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante, em Santos. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *