Crítica | O Que de Verdade Importa (The Healer, 2017)

Certos filmes transcendem certos limites. O que de Verdade Importa (The Healer), no caso, é feel good movie tradicional, repleto de pessoas com bons sentimentos, capazes de superação. Não há grandes conflitos. Praticamente sabemos por antecipação o que acontecerá aos personagens.

No caso, Alec Bailey (Oliver Jackson-Cohen, de O Corvo, Amor à Distância) vive em Londres e tenta, sem muito êxito, ganhar a vida consertando eletrodomésticos. Afogado em dívidas, é surpreendido pelo tio desconhecido Raymond  Heacock (Jonathan Pryce, de Game of Thrones e Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra).

O parente, irmão de sua mãe, faz convite inusitado: quitará as dívidas do sobrinho, desde que o rapaz vá morar, durante um ano, numa cidadezinha da Nova Escócia, no Canadá. Tudo muda quando o jornal local publica que o recém-chegado é capaz de curar as pessoas.

Poderíamos ver diversas metáforas na trama: o desejo de termos em quem acreditar, a necessidade de seguirmos um messias, alguém divino, se a força da fé pode superar a ciência, a medicina, etc. Mas o roteiro do mexicano radicado na Espanha, Paco Arango (também responsável pela direção) não aprofunda essas questões e nem pretende isso. O objetivo é fazer o espectador sorrir, chorar. O tempo inteiro o filme procura essas reações na plateia.

Talvez o rosto mais conhecido do elenco seja Jonathan Pryce mesmo. Há quem se lembrará de Jorge Garcia, o Hugo “Hurley” Reyes, de Lost, e que aqui interpreta o padre Maloy. A inglesa Camilla Luddington, que já dublou Lara Croft no game Tom Raider e Zatanna no longa de animação lançado direto em home vídeo, Liga da Justiça Sombria (2017), e tem diversos trabalhos em seriados no currículo (Grey’s Anatomy, True Blood, Californication) vive o interesse romântico, Cecilia. Estão todos geralmente no mesmo tom.

Alguém poderá questionar a falta de maior diversidade entre os personagens, é verdade. O filme, porém, fala às pessoas que já enfrentaram, enfrentam, ou conhecem alguém que enfrentou ou enfrenta o câncer.

E O que de Verdade Importa deixa de ser um mero filme para tornar-se uma causa, uma jornada. Paco Arango mantém, na Espanha, a ONG Aladina, que há dez anos assiste a crianças e adolescentes com diagnóstico de câncer e suas famílias – a youtuber santista Vic Mendes é embaixadora da entidade em solo brasileiro. Concebeu o projeto do filme em homenagem ao astro Paul Newman (1925-2008) que, durante a vida, ajudou milhares de crianças portadoras da doença. Assim, toda a renda líquida da produção está sendo e será revertida para entidades de combate ao câncer infantil.

Em sete países onde foi exibido – Espanha, México, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Panamá e Colômbia – foram 2 milhões de pessoas presentes nas sessões e cerca de US$ 10 milhões arrecadados. No Brasil, as seguintes entidades serão ajudadas: TUCCA (Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer) em São Paulo; Instituto Desiderata, no Rio de Janeiro; GACC (Grupo de Apoio à Criança com Câncer) na Bahia; NACC (Núcleo de Apoio à criança com Câncer) em Recife; HPP (Hospital Pequeno Príncipe) em Curitiba; Hospital da Criança Santo Antônio em Porto Alegre; e HCAA (Hospital de Câncer de Campo Grande Alfredo Abrão) em Campo Grande. Gesto nobre e admirável, um sopro de luz em tempos cada vez mais difíceis.

O que de Verdade Importa
The Healer
2017. Espanha, EUA, Canadá.
Direção: Paco Arango.
Com Oliver Jackson-Cohen, Jonathan Pryce, Camilla Luddington, Jorge Garcia, Kaitlyn Bernard.
113 minutos.


 

André Azenha
Jornalista, crítico de cinema, produtor cultural, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Escreve uma coluna semanal, aos sábados, para o jornal Expresso Popular, colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante, em Santos. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *