Crítica | The Post: A Guerra Secreta (2017)

Tom Hanks e Meryl Streep, dois dos maiores atores da história, em "The Post".
Tom Hanks e Meryl Streep, dois dos maiores atores da história, em “The Post”.

.
“Trabalhamos para os governados, não para os governantes”, diz um personagem em determinado momento de The Post: A Guerra Secreta, sobre o trabalho e a função da imprensa. Imprensa livre, mesmo que errante, essencial para qualquer democracia. Sem imprensa livre não há democracia.

Meryl Streep e Tom Hanks são os destaques. A atriz recordista de indicações ao Oscar interpreta Katharine Graham (1917-2001), proprietária do The Washington Post, jornal local da capital dos EUA prestes a lançar suas ações na Bolsa de Valores para se capitalizar e, consequentemente, ganhar fôlego financeiro. Pois é, nos anos 70 o jornalismo impresso já enfrentava dificuldades. Kat assumiu a empresa após as mortes do pai e do marido, então incumbido de comandar o diário. Não tem experiência no ramo. Vive nas altas rodas da cidade. E cercada por homens a “aconselhando” o que fazer.  Hanks é Ben Bradlee (1921-2014), o lendário editor-chefe do veículo, 17 vezes vencedor do Pulitzer.

Quando o New York Times inicia uma série de matérias denunciando a atuação dos últimos governos do país na Guerra do Vietnã, com base em documentos sigilosos do Pentágono, o presidente Richard Nixon processa e impede o jornal de publicar mais reportagens do tema. A documentação acaba nas mãos da equipe de Bradlee. Ele precisa convencer Kat a publicar o dossiê visando a liberdade de imprensa.

Metyl Streep faz a dona do jornal The Washington Post.
Metyl Streep faz a dona do jornal The Washington Post.

.
São personagens ricos, figuras importantes da história dos EUA. Principalmente, da história do jornalismo. Ben Bradlee, por exemplo, foi vivido por Jason Robards em Todos os Homens do Presidente (1976), o filme dos filmes sobre investigações jornalísticas: o caso Watergate, quando dois repórteres levaram o presidente Nixon à renúncia. Seu filho Ben Bradlee Jr. foi editor do The Boston Globe. Retratado no vencedor do Oscar, Spotlight: Segredos Revelados (2015), estava na equipe responsável por desmascarar os padres pedófilos da Igreja Católica.

The Post, Todos os Homens do Presidente e Spotlight e várias outras produções nos mostram como o jornalismo pode fazer a diferença, agir em prol da sociedade, dos governados, e não dos governantes. Pena que, atualmente, seja tão difícil encontrar editores, donos de veículos de imprensa, etc, idealistas, corajosos. A impressão que dá: não importa o lado, esquerda, direita, centro (para quem ainda denomina as coisas assim) estão recheados de fake news. Os interesses são outros. Não a população, a sociedade.

Tom Hanks é o lendário editor-chefe do The Washington Post, Ben Bradlee.
Tom Hanks é o lendário editor-chefe do The Washington Post, Ben Bradlee.

.
Spielberg em poucos meses conseguiu a façanha de realizar – enquanto preparava Jogador Nº 1, programado para março – um filme inspirador, completamente de acordo com o momento do mundo, de governantes de todas as linhas políticas pensando em limitar a atuação da imprensa, de mulheres tentando encontrar seu espaço, a valorização, a igualdade de direitos, de respeito. Perfeito para a Era Trump. O diretor encara os fatos como aventura, as pessoas como heróis (e não seriam?), em situações intensificadas pela trilha sonora do mestre John Williams.

É uma história passada, nos EUA, com personagens de lá, não tão conhecidos aqui. Nada que um Google não ajude rapidinho. A dica é assisti-lo e, em seguida, emendar em Todos os Homens do Presidente. Historicamente, a trama do filme de 1976 começa exatamente onde a de The Post termina.

Para jornalistas, alunos de jornalismo, então, pode ser mais inspirador ainda e revelador que muita aula. E vamos combinar: qualquer elenco liderado por Meryl Streep e Tom Hanks, mesmo que não em suas melhores atuações, vale à pena. E tem Sarah Paulson (a grande atriz da televisão atualmente), Bruce Greenwood, Michael Stuhlbarg. Este último é pé quente. Na temporada de prêmios também está em A Forma da Água e Me Chame Pelo Seu Nome.

The Post: A Guerra Secreta
The Post
EUA. 2017.
Direção: Steven Spielberg.
Com Meryl Streep, Tom Hanks, Sarah Paulson, Bruce Greenwood, Michael Stuhlbarg, Bradley Whitford.
1h56min.


 

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *