Mães no cinema

"O Quarto de Jack".
“O Quarto de Jack”.

Domingo (8) é Dia das Mães. É clichê, mas todo dia é dia delas. Dos pais também. E de pessoas queridas. Mas como existem essas datas especiais comemoradas por milhões de pessoas veio à mente filmes e cenas em que suas presenças me emocionam, sejam mães biológicas ou não.

Não, não está abaixo“Batman V. Superman: A Origem da Justiça”. Mas poderia. Confesso: adoro a tal cena e se quiser saber mais corre pra ver o filme que ainda está em cartaz.

São histórias de diferentes gêneros que podem ser (re)vistas no fim de semana, acompanhadas pelo calor materno.

E, claro, esse post vai para minha mãe Regina.

noviçaA Noviça Rebelde
Esse é em homenagem ao amigo crítico e cinéfilo Waldemar Lopes. O clássico musical traz o ícone Julie Andrews no papel de Maria, passa a cuidar de nada menos que sete crianças da família Von Trapp. Órfãs de mãe, elas encontram na noviça alguém que as entende e tem carinho de sobra para dar. A cena em que a filha mais velha tenta entrar escondida no casarão pelo quarto da protagonista, fugindo da chuva, e depois os demais irmãos chegam um a um aos sustos perante os trovões, ao som de “My Favorite Things”, é emblemática – entre tantas outras – e traz todo o carisma de Andrews.

O Quarto de Jack
O drama que deu o Oscar à atriz Brie Larson este ano tem momentos poderosos do início ao fim: afinal, mostra mãe e filho sequestrados, sendo que o pequenino nasceu em cativeiro. E aprofunda a necessidade que mãe e filho possuem um no outro. Enquanto a personagem de Larson contribui para que a criança cerque-se dentro de um mundo lúdico, é Jack quem dá a força necessária para que a mãe consiga resistir à situação.

Que Horas Ela Volta?
Um dos melhores filmes brasileiros dos últimos anos debate o choque de classes sociais, mas também sobre como Val, a diarista personagem de Regina Casé, substitui a função da mãe biológica de Fabinho (Michel Joelsas), mais preocupada com o trabalho e as altas rodas da sociedade. A relação de confiança e carinho entre Fabinho e Val é filmada mais de uma vez. Ao mesmo tempo, o longa mostra como Jéssica (Camila Márdila), a filha adolescente de Val que chega para morar com ela, sente a falta da mãe e demonstra essa necessidade de maneira um tanto rebelde. São momentos pungentes, belos e realistas.

André Azenha
Jornalista, crítico de cinema, produtor cultural, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Escreve uma coluna semanal, aos sábados, para o jornal Expresso Popular, colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante, em Santos. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *