Indicados ao Oscar 2016: Análise

Quando os cineastas Ang Lee e Guillermo Del Toro, mais o ator John Krasinski e a presidente da Academia anunciaram os indicados ao Oscar 2016, algumas tradições do Oscar foram confirmadas. Uma delas é que atores ou diretores premiados muitas vezes emplacam uma indicação consecutiva: Julie Andrews – vencedora por “Mary Poppins” em 1964 foi indicada em 1965 por “A Noviça Rebelde”; Russell Crowe, vencedor por ”Gladiador” em 2001, foi indicado por ”Uma Mente Brilhante” em 2002. O vencedor do ano passado, Eddie Redmayne, por “A Teoria de Tudo”, foi novamente indicado por “A Garota Dinamarquesa”. O diretor Alejandro González-Iñarritu venceu no ano passado por “Birdman” e está na corrida deste ano com o aclamado “O Regresso”.

A lista de esnobados inclui veteranos ilustres, como Maggie Smith, Helen Mirren, Tom Hanks, Jane Fonda, Steven Spielberg, Quentin Tarantino, Ridley Scott, enquanto novatos, ou nomes relativamente desconhecidos ou ainda com filmografias nada formidáveis até então emplacam suas primeiras – e muitas vezes únicas indicações: Mark Rylance, em “Ponte dos Espiões”, Alicia Vikander, em “A Garota Dinamarquesa” e Brie Larson em “O Quarto de Jack”, vencedora do National Board of Review e do Globo de Ouro. A ausência de profissionais afro-americanos também tornou-se evidente, com a não inclusão de Idris Elba, muito cotado por ”Beasts of No Nation”, e Samuel L. Jackson.

Dois grandes comebacks ocorreram. Assim como no ano passado ressurgiu Michael Keaton em grande forma em “Birdman”: desta vez voltam com força total Sylvester Stallone (anteriormente indicado a 2 Oscars, um como ator e outro como roteirista pelo premiado “Rocky”)  premiado  pelo National Board of Review e o Globo de Ouro como melhor ator coadjuvante  por “Creed” e Jennifer Jason Leigh, por “Os Oito Odiados”, sua primeira indicação numa longa carreira.

Um grande reencontro é notável no Oscar 2016: a dupla do vencedor de 11 Oscars “Titanic” (1997), Leonardo DiCaprio e Kate Winslet, está indicada – ele como ator por “O Regresso” e ela, como coadjuvante por “Steven Jobs”. No ano de “Titanic”, enquanto Kate estava indicada como melhor atriz, Leo estava ausente dos indicados. No seu lugar estava Matt Damon, por “Gênio Indomável”, que acabou vencendo como roteirista desse longa, junto com o amigo Ben Affleck. Curiosamente, Damon está de volta ao Oscar também, indicado por “Perdido em Marte”

Ao que tudo indica, DiCaprio deve levar finalmente o Oscar para casa, é sua sexta indicação – quatro como ator e uma como produtor. Poderia até ter tido mais, pela sua notável filmografia, com suas escolhas destemidas de papéis arriscados e atuações impecáveis. Ele disputa com ótimos atores: Michael Fassbender, em “Steven Jobs’ (indicação anterior foi como coadjuvante em ”12 Anos de Escravidão”‘), Bryan Cranston (famoso por “Breaking Bad”) em “Trumbo”, Eddie Redmayne e Matt Damon.

Se Brie Larson levar o Sag e o Bafta (em duas categorias), suas chances de ganhar o Oscar aumentarão consideravelmente. Ela disputa com a já veterana e vencedora Jennifer Lawrence  (melhor atriz por “O Lado Bom da Vida”), em sua quarta indicação num curto espaço de tempo, por “Joy”, a duplamente vencedora Cate Blanchett (“O Aviador” – como coadjuvante, e melhor atriz por “Blue Jasmine”), em “Carol”, Saoirse Ronan, por “Brooklyn” e a veterana Charlotte Rampling –  dona de uma vasta filmografia, que inclui o polêmico ”O Porteiro da Noite” e a série “Dexter” –  concorrendo por ”45 Anos”. Entre as coadjuvantes: a vencedora Kate Winslet (melhor atriz por ”O Leitor”), disputa com Rooney Mara (indicada por “Millenium”), em ”Carol”; e as indicadas pela primeira vez,  Rachel McAdams, em “Spotlight”, Alicia Vikander e Jennifer Jason Leigh. Entre os atores, o vencedor Christian Bale (melhor coadjuvante em “O Vencedor”) disputa pelo seu trabalho em ”A Grande Aposta” com veteranos três vezes indicados, Stallone e Mark Ruffalo (coadjuvante em ”Minhas Mães e Meu Pai” e “Foxcatcher”). Ruffalo está no páreo por ”Spotlight”, e, indicados pela primeira vez estão Tom Hardy, em “O Regresso” e Mark Rylance.

Enquanto o longa brasileiro ”Que horas Ela Volta?” não conseguiu ser indicado a filme estrangeiro, o animação “O Menino e o Mundo” fez bonito e está no páreo, muito duro por sinal, pois disputa com ”Divertida Mente”. Uma figura que está se tornando presença constante na festa do Oscar é Lady Gaga, que no ano passado foi, junto com a icônica Julie Andrews, top trend nas redes sociais pelo tributo especial aos 50 anos do mega clássico ”A Noviça Rebelde”. Neste ano ela está de volta, mas indicada pela canção ”Till It Happens to You”, de “The Hunting Ground”.

De dez possíveis indicações, a Academia neste ano decidiu indicar oito filmes: “O Regresso”, “Spotlight”, “Perdido em Marte”, ”O Quarto de Jack”, “Brooklyn”, ”A Grande Aposta”, ”Mad Max – Estrada da Fúria” e ”Ponte dos Espiões”, com temas como sobrevivência, jornalismo investigativo, guerra fria, especulação no ”economic meltdown”. Foram esnobados “Os Oito Odiados”, ”Carol” e “A Garota Dinamarquesa”, enquanto “Star Wars” está indicado pela parte técnica, como previsto.

Ficaram nessa ordem os filmes com mais indicações.

“O Regresso” – 12 indicações, surge como favorito em muitas categorias, inclusive melhor filme

”Mad Max – Estrada da Fúria” – 10 indicações

”Perdido em Marte” – 7 indicações

”Ponte dos Espiões”, “Spotlight” e ”Carol” – 6 indicações

”A Grande Aposta” e ”Star Wars” – 5 indicações

”O Quarto de Jack” – 4 indicações

”Brooklyn” – 3 indicações

Está dada a largada! Façam suas apostas, venham à minha palestra anual beneficente do Oscar e à transmissão da entrega do Oscar no Cine Roxy para vibrar, torcer, se enfurecer, aplaudir, vaiar, rir, chorar, se divertir e se emocionar. Tudo isso, mais a poeira de estrelas no tapete vermelho e no palco da entrega do Oscar, torna esse prêmio o mais famoso, às vezes o mais justo, outras vezes o mais injusto, o mais criticado, o mais celebrado do mundo do cinema.

PS: Já foram entregues, em dezembro de 2015, os Oscars Honorários, no Governor’s Ball. Corrigindo injustiças da premiação e celebrando causas humanitárias, a Academia tem a chance de se redimir. Receberam essa distinção os grandes e talentosos Debbie Reynolds, Gena Rowlands e Spike Lee.

Waldemar Lopes é artista plástico, engenheiro mecânico, professor, cinéfilo. Anualmente realiza em Santos uma palestra beneficente sobre o Oscar, que se tornou tradicional na cidade. Também já realizou encontros sobre cinema para a Universidade Católica de Santos, Universidade Monte Serrat, Secretaria de Cultura de Santos e Rotary. Escreve para o CineZen e o 50 Anos de Cinema.

One thought on “Indicados ao Oscar 2016: Análise

  1. Parabéns por sua análise, boa explicação, considerações e prognóstico. Belo trabalho.

    Antonio Carlos – RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *