A trilogia Mad Max

Mad Max

A trilogia Mad Max é um caso difícil de classificar. Certamente é fita de ação e violência, mas principalmente o primeiro de 79, era sem dúvida um road movie. Mas uma produção extremamente modesta, feita na Austrália por desconhecidos e estrelada por um americano radicado lá, um certo Mel Gibson. A história de um policial do futuro que procura vingar a morte de sua família nas mãos de gangue de motoqueiros. Um filme que virou cult, porque na verdade só no segundo (Mad Max II- The Road Warrior, 81) fez sucesso mundial, criando moda com sua visão futurista de um mundo pós-guerra nuclear onde se briga pelo combustível e a água.

Só então foi descoberto este original, que havia assustado os americanos por causa de seu sotaque, para eles incompreensível. Mas é uma fita tensa, muito bem dirigida, com espetaculares perseguições de carros, stunts (trombadas e cenas de ação), sem esquecer a mistura de personagens bizarros e uma atmosfera estranha. Foi o primeiro filme australiano rodado em Widescreen anamórfico. A edição em DVD no Brasil não tem extras e por isso não conta lendas como a história de que Mel Gibson teria ido acompanhar um amigo para fazer o teste do filme. Tinha se envolvido numa briga de bar, na noite anterior, e estava com o rosto inchado e desfigurado. Convidaram-no para voltar depois de três semanas para fazer um teste para vilão. Quando voltou, já com o rosto normal, não foi reconhecido pela equipe e acabou sendo chamado para o papel principal. Atenção: ele está tão jovem que é quase irreconhecível. Um outro detalhe curioso: a morte da família só ocorre depois de 73 minutos. Também não se percebe bem a localização ou a época, mal merecendo a classificação de ficção-científica.

Idioma: Inglês australiano (5.1), Inglês americano (2.0), Português (Mono). Legendas: Português, Inglês. Gênero: Ação. Formato: Widescreen 2.35:1. Tempo: 93 min. Cor. Ano: 1979. País de origem: Austrália. Distribuidora: Warner. Censura sugerida: 16 anos. Censura original: R.
Diretor: George Miller. Elenco: Mel Gibson, Joanne Samuel, Hugh Keays-Byrne, Steve Bisley, Tim Burns, Roger Ward, Lisa Aldenhoven.
Sinopse: Num futuro próximo, quando a polícia tem problemas para enfrentar gangs e motoristas suicidas, Max Rockansky, um policial vestido de couro, declara guerra contra os motoqueiros sádicos que assassinaram sua família.

Mad Max 2 – A Caçada Continua

Poucos se lembram que a trilogia “Mad Max” só fez realmente sucesso a partir deste segundo exemplar que chegou a ser remontado para o mercado internacional. Muito violento, foi imitado por dezenas de outras fitinhas que usavam o mesmo tema em cenários desérticos. É o melhor da série e o responsável pela popularidade de Gibson (americano de nascimento, foi criado na Austrália e não demorou a ser chamado para filmes americanos). Tem notável visual e grandes perseguições, que o tornam um clássico no gênero. Ganhou Grande Prêmio de Avoriaz (especializado em terror e fantasia), foi melhor filme estrangeiro dos críticos de Los Angeles, e no Australian Film Institute foi votado melhor direção, som, desenho de produção, figurino, montagem.

Mel Gibson só tem 16 frases de dialogo e duas  delas foram “Eu só vim pela gasolina”. O cachorro usado no filme era chamado apenas de Dog e foi adotado pela equipe que o treinou para as cenas, tapando os ouvidos porque o barulho o incomodava. Depois foi adaptado por um dos câmeras. Uma das cenas com motoqueiros foi real e quase matou a pessoa – ele atinge um carro, sai voando, estoura a perna conta o carro e rola em direção a câmera. Miraculosamente o stunt man sobreviveu.

A sequência inicial falando sobre o que aconteceu com o planeta foi cortada da versão australiana. O filme tem o maior set e mais caro já feito para um filme local (o forte em Broken Hill, New South Wales) e também a maior explosão que destruiu todos os sets. Estranhamente para um filme de ação, ele foi todo rodado em ordem prevista no roteiro. Chamou-se “Road Warrior” nos EUA porque poucos haviam visto “Mad Max”. A locação foi escolhida num lugar onde não chovia há quatro anos. Mas choveu e eles tiveram de interromper a filmagem por uma semana. No deserto era extremamente frio!

Mad Max 2 ou The Road Warrior. Ação.  Widescreen 2.35:1. 95 min. Cor. Austrália. 1981.Warner. Diretor: George Miller
Elenco: Mel Gibson, Bruce Spence, Vernon Wells, Mike Preston, Virginia Hey, Max Phipps, Kjell Nilsson, Emil Minty, William Zappa.
Sinopse: Depois de ter perdido a família, Max agora é um solitário (a trama se passa num misterioso futuro próximo), se envolvendo com relutância com uma comunidade que produz petróleo e se defende contra um bando de loucos que desejam a gasolina.

Mad Max (3) – Além da Cúpula do Trovão

Parecia ser o final da trilogia em que o diretor Miller, já cansado, pediu ajuda de um assistente vindo do teatro para cuidar dos atores e crianças (o outro George, porém, não teve maior importância no resultado final).  O problema do filme é que sua melhor sequência-clímax é na primeira parte. A fita se estica num outro capítulo menos interessante com as crianças até voltar a ter ação no final. A roqueira Tina, pela primeira vez, faz papel dramático (mas sem coragem de assumir a vilania!). A  canção que interpreta, “We Don´t Need Another Hero”, de Terry Britten e Graham Lyle, além de ter feito muito sucesso, foi indicada ao Globo de ouro da categoria.  O vestido dela pesava 55 quilos.  Há uma tragédia por trás do filme: o produtor Byron Kennedy, morreu num acidente de helicóptero enquanto procurava por locações. O diretor Miller ficou tão aborrecido que se limitou a dirigir as cenas de ação. E o filme é dedicado a Byron.

Originalmente o filme era sobre as crianças que viviam no deserto até alguém sugerir que podia virar um episódio de Max.  A tempestade de neve é real e realmente forçou todos a fugirem e procurarem abrigo.  A ideia era que este fosse o capitulo final, com Max recuperando sua humanidade e caminhando para o por do sol. Naquela altura, Mel já tinha feito vários filmes para ingleses e norte-americanos como “Mrs. Soffel”, “O Rio do Desespero”, “O Ano em que Vivemos em Perigo”, “Rebelião em Alto Mar”. Mas só iria estourar exatamente depois com o primeiro “Maquina Mortífera”. Mel não está no quarto filme desde que se envolveu em escândalos, principalmente por causa do alcoolismo e ataques que fez aos Judeus de Hollywood.

Mad Max  Beyond Thunderdome .Ação. 107 min. Cor.Austrália. 1985. Warner. Diretores: George Miller e George Ogilvie.
Elenco: Mel Gibson, Tina Turner, Angelo Rossitto, Helen Buday, Rod Zuanic, Frank Thring,Bruce Spencer, Adam Cockburn, Frank Thring, Angelo Rossitto, Paul Larsson.
Sinopse: Num futuro desolado e desértico, Mad Max chega à cidade de Bartertown, dirigida por uma mulher, e tem que participar de uma luta mortal numa cúpula. Mais tarde, exilado no deserto, é salvo por uma tribo de crianças selvagens.

Rubens Ewald Filho é jornalista formado pela Universidade Católica de Santos (UniSantos), além de ser o mais conhecido e um dos mais respeitados críticos de cinema brasileiro. Trabalhou nos maiores veículos comunicação do país, entre eles Rede Globo, SBT, Rede Record, TV Cultura, revista Veja e Folha de São Paulo, além de HBO, Telecine e TNT, onde comenta as entregas do Oscar (que comenta desde a década de 1980). Rubens já assistiu a mais de 30 mil filmes entre longas e curta-metragens e é sempre requisitado para falar dos indicados na época da premiação do Oscar. Ele conta ser um dos maiores fãs da atriz Debbie Reynolds, tendo uma coleção particular dos filmes em que ela participou. Fez participações em filmes brasileiros como ator e escreveu diversos roteiros para minisséries, incluindo as duas adaptações de “Éramos Seis” de Maria José Dupré. Ainda criança, começou a escrever em um caderno os filmes que via. Ali, colocava, além do título, nomes dos atores, diretor, diretor de fotografia, roteirista e outras informações. Rubens considera seu trabalho mais importante o “Dicionário de Cineastas”, editado pela primeira vez em 1977. Recebeu uma estrela na Calçada da Fama do Cine Roxy, em Santos, em 2013 e participou como convidado de eventos promovidos pelo CineZen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *