Os 30 anos de Jaspion

Quem foi criança ou adolescente nos anos 80 deve lembrar. Há 30 anos era lançado o seriado “O Fantástico Jaspion”. No Brasil, no aniversário de 25 anos do programa, foram lançadas duas versões (box e lata) com os 45 episódios.

Com uma temporada, “Jaspion” teve uma trajetória a exemplo de “Nacional Kid”, primeiro personagem do Japão e atrair a audiência daqui: não fez sucesso em sua terra natal (tendo sido produzida pela Toei Company e transmitida pela TV Asahi), mas tornou-se febre no Brasil a partir de 1988.

A garotada dificilmente perdia uma tarde na TV Manchete, e o herói virou álbum de figurinhas, coleção de bonecos, material escolar e até espetáculo de circo no Brasil (dividindo a arena com uma história do grupo Changeman).

A produção beirava o trash: herói japonês (nas primeiras aventuras) de cabelo black power, monstros visivelmente feitos de borracha, um bebê alien que lembra um ancestral dos Teletubbies, a mesma pedreira que servia de cenário para todos os combates, e um vilão com visual copiado de Darth Vader, incluindo capa preta e espada-laser. Ainda havia uma androide gostosinha, Anri.

A estratégia da antiga rede de tevê carioca para emplacar a série foi a seguinte: durante anos o último episódio foi adiado, aumentando a curiosidade do público. Este fato, somado à carência da plateia nacional por um novo herói oriental, desde o já citado Nacional Kid, gerou grande audiência.

jaspiondvdE Jaspion virou cult, abrindo as portas no país para uma enxurrada de outros seriados da terra do sol nascente: “Flashman”, “Jiraya”, “Spielvan”, e até desenhos como “Cavaleiros do Zodíaco”, “Patrulha Estelar” e “Dragon Ball”, entre tantos outros.

A trama tem início quando o sábio Edin (Edgin, no original) encontra o então garoto Jaspion, órfão – os pais morreram num acidente com uma nave. Edin cria o jovem sabendo que logo o rapaz se tornaria o guerreiro celestial encarregado de destruir o vilão Satan Goss. Já na adolescência, Jaspion compreende seu destino e aceita de seu mentor as armas e a androide Anri, parceira na busca pela paz do universo.

Os episódios tinham praticamente o mesmo roteiro: Satan Goss e seu filho MacGaren enviavam um monstro ou vilão de altura espantosa que Jaspion derrotava com a ajuda do Gigante Guerreiro Daileon. E como bem lembra o amigo jornalista Marcio Pinho, a locução do seriado alertava: “Satan Goss tem o poder de enfurecer os monstros e transformá-los em seres incontroláveis”. Em seus vários combates, Jaspion e Anri ganharam aliados. Um exemplo é Boomerman, agente que utilizava bumerangues contra os vilões.

Cada capítulo possuía uma mensagem positiva, educativa, e na reta final “Jaspion” ganhou tons dramáticos, com a busca pelas cinco crianças que poderiam dar vida ao pássaro dourado, capaz de derrotar Satan Goss.

A música-tema foi cantada por crianças de todo o Brasil e até gibis do personagem foram lançados por aqui. Primeiro pela editora Brasil-América (Ebal), que já não existe mais, e nos anos 90 pela Abril, em HQ que trazia um Jaspion loiro e ressuscitava Satan Goss e MacGaren.

As caixas em DVDs possuem imagem e som remasterizados, e têm a opção de assistir os episódios na dublagem original brasileira. Quem dublava o protagonista era o ator Carlos Takeshi, que participou de algumas novelas e foi apresentador por doze anos do canal a cabo Shoptime, onde vendia computadores e games.

O FANTÁSTICO JASPION
(Kyoju Tokuso Jaspion, Japão, 1985, lançado da série, 2009, lançamento do Box e da lata em DVD no Brasil). 
Direção: Akihira Tojo, Takeshi Ogasawara, Yoshiaki Kobayashi. Elenco: Hikaru Kurosaki, Kiyomi Tsukada, Junichi Haruta.
Ação / Aventura / Comédia.
575 min.

A série integra o acervo da Vídeo Paradiso

https://www.youtube.com/watch?v=k8TetVea_lM

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *