O Homem Mais Procurado, de Anton Corbijn

“O Homem Mais Procurado” (“A Most Wanted Man”, no original) foi um dos últimos filmes em que o ator Philip Seymour Hoffman trabalhou antes de falecer espantosamente em 2 de fevereiro do ano passado. Dirigido por Anton Corbijn (de “Control” e “Um Homem Misterioso”), o longa é baseado no livro de mesmo nome do escritor britânico John Lé Carré, famoso por suas tramas de espionagem e suspense, tendo aqui Andrew Bovell como responsável pelo roteiro adaptado.

Só o fato do filme ter sido lançado após a morte de Philip Seymour Hoffman já seria suficiente para gerar um interesse em assistir. Mas não é somente isso que temos de atrativos, pois além do já citado diretor, o trabalho tem um elenco bem respeitável. Estão nele: Rachel McAdams (“Meia-Noite em Paris”), (Daniel Brühl (“Adeus, Lênin!”), William Dafoe (“Homem-Aranha”) e Robin Wright (“House Of Cards”), entre outros atores.

A película passou pelos cinemas rapidamente em 2014 e agora está disponível em DVD e no Netflix. Nela vemos Seymour Hoffman exibindo seu talento como Günther Bachmann, um agente da inteligência alemã sediado em Hamburgo que tem como objetivo impedir novos ataques terroristas. Assombrado por uma falha anterior, o agente tem um pequeno time de confiança a seu dispor mas precisa sucumbir a autorizações não somente do governo alemão de modo geral, como também de órgãos americanos como a CIA e o FBI, em trabalho conjunto.

Quando um imigrante russo-checheno desembarca em Hamburgo todos esses olhos se voltam para ele, já que tem um largo histórico de participação em atos terroristas. Esse imigrante (interpretado por Grigoriy Dobrygin) chega a Alemanha em busca de uma herança que o pai, um antigo militar corrupto soviético deixou em um banco. Sem saber muito bem sobre isso, uma advogada (Rachel McAdams) especialista em ajudar estrangeiros torturados e oriundos de zonas de guerra, passa a servir de intermediária nessa transação.

o homem mais procuradoO que vemos a seguir é uma trama recheada de intrigas, traições, desconfiança, esperteza e habilidade. Bem típica dos livros de John Lé Carré e que já podemos acompanhar no cinema, por exemplo, na adaptação de “O Espião Que Sabia Demais” feita em 2011 pelo diretor Tomas Alfredson. Assim como nesse trabalho, não espere perseguições, bombas, tiroteios, lutas homéricas, nada disso. Tudo se desenvolve em um ritmo sincopado onde as ideias, o poder e o cérebro são as ferramentas principais, e não os músculos.

Guardadas as devidas proporções Anton Corbijn já fez algo parecido em “Um Homem Misterioso” e meio que repete essa dosagem lenta e espaçada. Talvez “O Homem Mais Procurado” não agrade quem está acostumado aos filmes do tipo repletos de ação e efeitos especiais como “Missão Impossível” ou da trilogia “Bourne”, por exemplo. Todavia, trata-se de um filme com méritos tanto na parte técnica quanto na atuação do elenco, e, acima de tudo, é sempre bom ver o talento de Philip Seymour Hoffman novamente, um dos grandes atores da sua geração.

Adriano Mello Costa, apaixonado por Cultura Pop, mantêm o Coisa Pop há cinco anos, filho bastardo do antigo Cultura Direta, que hoje hiberna tranquilamente. Acha o R.E.M a melhor banda do mundo (depois dos Beatles, lógico). É viciado em cervejas escuras, pães e bandas de rock com mulheres no vocal. No mais, acredita que tudo pode sempre ser melhor do que já é...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *