The Battered Bastards of Baseball

O ator Bing Russell ficou conhecido no mundo do entretenimento pela sua atuação como o xerife Clem Foster no seriado “Bonanza” entre 1961 e 1972. Foram 57 episódios. Além disso, entre outras coisas, participou do clássico filme “Sete Homens e Um Destino” de 1960 do diretor John Sturges. Todavia, antes de ir para Hollywood tentar a sorte como ator, ele queria ser jogador de beisebol. Fascinado pelo esporte ainda tentou mas não conseguiu ir muito longe. Durante sua infância nos anos 30 porém, vivia junto com os maiorais do New York Yankees, sendo apadrinhado pelo arremessador Lefty Gomez, um ícone do clube e da história da modalidade.

batteredDepois que “Bonanza” foi cancelado, Bing Russell ficou sem ter muito o que fazer, sem um objetivo na vida. Foi quando teve uma ideia louca de montar um time de beisebol em Portland (que tinha acabado de ver o time da cidade ir para outro lugar) para disputar a Minor League Baseball, algo que se trouxermos para a nossa realidade futebolística pode ser entendida como uma espécie de segunda divisão. A liga era dominada por franquias dos times grandes que disputavam a Major League (principal) e que a usavam mais como campo de estudos do que outra coisa, não se envolvendo com a cidade e excluindo a chance de milhares de pretensos jogadores.

Os times independentes então muito presentes na infância de Bing Russell haviam desaparecido e consigo levaram boa parte do amor real pelo esporte e sua correlação com o público, olhando pelo prisma do espetáculo. Foi nesse cenário que surgiu o Portland Mavericks que durante os anos de 1973 a 1977 fez história e redesenhou uma parte desse cenário. O ex-ator montou um time repleto de excluídos e renegados pelos grandes times, deu chance a desajustados que não atendiam visualmente ou de modo comportamental as rígidas regras da liga principal, e assim como se fosse em uma fábula ou um filme de superação conseguiu a façanha de fazer isso funcionar.

Essa história, pouco retratada anteriormente, agora está acessível no documentário “The Battered Bastards of Baseball” que entrou no último dia 12 de julho na grade do Netflix nacional (e só pode ser visto no país atualmente nessa plataforma). Produzido pelo próprio canal é dirigido pelos irmãos Chapman e McLain Way (netos de Bing Russell). Em 73 minutos apresentam-se depoimentos, fotos e imagens da época, assim como recortes de jornais e de revistas. A história quase surreal é vista por nomes como o ator Kurt Russell (de “Tango e Cash” e “À Prova de Morte”, entre tantos outros), que é filho de Bing e jogou algumas temporadas no “Mavs” como rebatedor.

Outro nome conhecido e bem participativo no documentário é o diretor Todd Field (de filmes como “Entre Quatro Paredes” e Pecados Intímos”) pois na época do time ele era um dos carregadores de equipamentos dos jogadores e guarda emocionantes lembranças até hoje. “The Battered Bastards of Baseball” é um documentário que cumpre com a função básica de contar uma história e retratar os fatos que ocorreram, e consegue ir até mais além fazendo com que o telespectador realmente se emocione na parte final. E o melhor é que não precisa conhecer o beisebol para apreciar o trabalho, basta apenas um pouco de coração.

P.S: O único senão é que o documentário poderia ter mais uns 20 minutos de duração, para explicar melhor algumas passagens. Nada demais, contudo.

Adriano Mello Costa, apaixonado por Cultura Pop, mantêm o Coisa Pop há cinco anos, filho bastardo do antigo Cultura Direta, que hoje hiberna tranquilamente. Acha o R.E.M a melhor banda do mundo (depois dos Beatles, lógico). É viciado em cervejas escuras, pães e bandas de rock com mulheres no vocal. No mais, acredita que tudo pode sempre ser melhor do que já é...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *