Lucy: Scarlett Johansson se consolida como atriz de ação

Scarlett Johansson definitivamente se consolida como atriz de ação depois de viver a Viúva negra nos filmes da Marvel e, agora, essa produção dirigida por Luc Besson. Se não é excelente atriz, tem voz boa de ouvir, é gostosinha e vai bem nas cenas de luta. Sua presença justifica a excelente bilheteria do longa em âmbito internacional. Só a cara de nada (jargão usado pelo colega Rubens Ewald Filho para a falta de expressão), em alguns momentos, incomoda, por mais que a personagem peça por isso.

O mote da trama é interessante: o que aconteceria se alguém conseguisse usar 100% do cérebro? Somos apresentados à personagem-título que, ao tentar ajudar o amante, é presa por uma quadrilha. É forçada a carregar uma nova substância dentro do estômago e a droga acaba se espalhando por seu organismo, levando-a a ganhar poderes como telecinese, ausência de dor e conhecimento em grande escala.

https://www.youtube.com/watch?v=hI8TuEc45zw

A história lembra outra produção recente, “Sem Limites” (2011), com Bradley Cooper. Mas estamos em um filme de Luc Besson e o cineasta  sabe criar cenas de ação criativas, que chegam a ser engraçadas, de tão surreais. O problema é que ele parece ter usado as drogas que tantos de seus personagens usam e não conseguiu desenvolver roteiro nem resolução a altura das sequências que dirige tão bem.

lucy-posterAs presenças de Morgan Freeman, vivendo cientista respeitado, e o coreano Min-sik Choi (do espetacular “Old Boy”), na pele do vilão, dão certa credibilidade ao filme. Só. Lucy se transforma numa espécie de Jean Grey dos X-Men e fica no ar o porquê, em certo momento, ela utiliza o poder para paralisar os inimigos e, em outro, precisa correr quando poderia repetir o feito.

Atenção que vem spoiler! Como disse o amigo humorista Euclydes Escames, a história vai fica cada vez mais absurda e a protagonista vira, no final, um pen drive do Venon (aquele do Homem-Aranha).
Estreia no Brasil: 28/08/2014. 

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *