Como Treinar o Seu Dragão 2: Tão bom quanto o anterior

Na crítica do primeiro “Como Treinar o Seu Dragão”, escrevi: “Com visual arrebatador, lindas paisagens extremamente realistas, boas cenas de ação, um pouquinho de romance, momentos fofinhos e engraçados, o longa é veículo para crianças, jovens e adultos”. Pois bem: na continuação, a DreamWorks ratifica e intensifica tudo o que foi realizado anteriormente e proporciona ao espectador uma experiência deliciosa e que traz suas mensagens.

A trama se passa cinco anos após os acontecimentos do primeiro. Soluço convenceu os habitantes de seu reino a conviverem em paz com os dragões, o que rende momentos engraçados: vez ou outra algum dragão solta fogo sem querer e a chama é apagada por um novo sistema de emergência desenvolvido exatamente para as ocasiões. O jovem protagonista evita se adequar às obrigações de herdeiro do trono e voa com Fúria da Noite por terras distantes. Até encontrar um caçador de dragões e, depois, descobrir uma caverna secreta onde centenas da espécie vivem harmoniosamente com alguém ligado ao passado dele. Escrever mais pode estragar certas surpresas. Pelo caminho, ainda haverá o vilão Drago, que deseja controlar todos os cuspidores de fogo, e gelo.

O canadense Dean DeBlois assina roteiro e direção sem o parceiro Chris Sanders (EUA), que havia dividido as funções em 2010. Antes, a história era uma alegoria do medo do desconhecido. A nova aventura retoma o assunto e fala de pacificação, entrosamento, amadurecimento, do respeito ao próximo e perdão.

https://www.youtube.com/watch?v=j-TGl0ScloQ

Soluço não é mais criança. E suas decisões podem influenciar a vida de centenas, milhares de pessoas, e dragões. Há os momentos fofos e engraçadinhos, especialmente aqueles que mostram os bebês-dragões, que farão os pequeninos caírem em gargalhadas. Tem o drama familiar que pode envolver os marmanjos. Não que seja profundo como um “Wall-E”. Algumas soluções são maniqueístas. Mas a obra encanta como um todo. Cada voo empolga, há sequências de lutas e fugas divertidas, criativas, e o desenho de produção consegue transmitir ora a magia do reino, do mar, do céu, ora o temor dos locais que foram vítimas dos dragões gigantes que, ao invés de fogo, lançam gelo. A concepção desses cenários repletos de cristais pontudos formados a partir do frio remete à Fortaleza da Solidão de “Superman, o Filme” (1978).

A história avança bem, entre momentos de grandiosidade e outros simples, quando a sensibilidade vem à tona. Por essas e outras “Como Treinar o Seu Dragão 2” agrada. Ainda mais quem busca bom entretenimento. Assisti-lo ao lado de crianças é ainda mais divertido. As risadas tão naturais deles nos contagiam.

Estreia: 05/06/2014.

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *