Arrugas: animação espanhola traz o drama do Mal de Alzheimer com humor

Como é ver alguém que tanto amamos perdendo-se em suas memórias a ponto de esquecer quem somos e até mesmo quem é? Se somos nós que, depois de tanta vida, perdemos a noção de nós mesmos? Em 2009, havia 25 milhões de portadores de Alzheimer no mundo e cerca de 1 milhão de casos no Brasil. O protagonista do longa de animação espanhol “Arrugas” é portador desse mal. Como ficam os pensamentos de alguém que está se perdendo dentro de si? O que poderia ser um dramalhão trata o tema com humor e delicadeza.

A humanidade está envelhecendo. Apesar de estarmos presos à ilusão de sermos “eternamente jovens”, se não morremos cedo, envelheceremos. Pode parecer óbvio. Mas, sempre esquecemos do óbvio, não é mesmo? O sexo entre idosos, por exemplo, é até hoje visto como um tabu. Gabriel García Márquez mostra o tema de maneira sublime com o amor entre Fermina e Juvenal no seu já clássico “Amor em tempos de cólera”. Um pouco mais recente, a fotógrafa holandesa Marrie Bot fez uma série fotográfica “Geliefden – Timeless love” com imagens  que mostram cenas de amor e sensualidade entre idosos. Mas se a sociedade a cada dia está mais velha, por que falamos tão pouco do tema e os meios são tão tradicionais?

Há muitos senhores idosos que são da época de Woodstock. É uma questão de tempo em ter bailes da terceira-idade tocando de Led Zepellin a U2. É também bem provável que, em algumas décadas, termos videogames em asilos. E por que não usar a animação para contar uma história sobre Alzheimer? Aliás, quem foi que disse que desenho animado é só para crianças?

Captura de Tela 2014-01-29 às 14.42.30“Arrugas” é um longa-metragem de animação em 2D para um público adulto baseado no comic do mesmo título de Paco Roca. Foi sucesso na França, Estados Unidos, Reino Unido, Polônia, Rússia, China e América Latina. O filme narra a amizade entre Emilio e Miguel, dois velhos que vivem em um asilo. Ele teve grande êxito no Festival de Cine de San Sebastián em 2011 e ganhou dois Goyas (de melhor roteiro adaptado e melhor filme de animação), entre outros prêmios internacionais.

O grande desafio foi transformar um comic para um longa sendo fiel a narrativa e estilo. Foi feito com um baixo orçamento e em pouco tempo.  Como coisas boas devem ser compartilhadas, descobri que a rede espanhola RTVE deixou disponível online e grátis o filme “Arrugas”.  Se o seu espanhol permitir, veja também a entrevista com seus criadores que levantam questões interessantes que vão desde terceira idade a animação. Desfrutem!

http://blog.rtve.es/comic/2014/01/os-ofrecemos-la-pel%C3%ADcula-arrugas-online-y-gratis.html

Santista, atualmente, mora na Espanha onde fez um mestrado em produção e gestão audiovisual. Pós-graduada em Política e Relações Internacionais, é repórter freelancer da Revista BiodieselBR. Trabalhou no jornal O Estado de S. Paulo (2004-2011), fez reportagens para as revistas Exame, Casa & Mercado, Revista Young e Docol. Publicou textos no Jornal da Tarde e no site Terra. Exerceu o cargo de analista de Mídia e Redes Sociais e de Relações com a Mídia no Grupo Máquina PR (2012). Porém, precisou ir para o outro lado do Oceano Atlântico para redescobrir o audiovisual. Entre 1999 e 2002, foi estagiária da Santa Cecília TV e fez um curta-metragem para a Oficinas Kinoforum em 2003. Quando desembarcou na terra do D.Quixote pensava que iria se dedicar somente aos documentários, mas descobriu uma outra paixão: a animação. Já produziu dois “filhos”, ops, trabalhos nessa área como roterista e produtora executiva. E já está com um terceiro “filho” a caminho. Aprendeu que o melhor da vida é surpreender-se com novas culturas, lugares e até consigo mesma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *