A trilogia de Loki e o novo Rio

Thor: O Mundo Sombrio dirigido por Alan Taylor (2013)

O Marvel Studios, se não acerta sempre nos filmes, tem dado, mercadologicamente, um baile na rival Warner/DC Comics. Seus longas não possuem o subtexto social da trilogia Batman de Christopher Nolan, nem a abordagem religiosa ou filosófica de um Superman. Mas entretém. Pacas. Um filme leva ao outro. Expectativas são geradas. “Thor: O Mundo Sombrio” é mais um grande passo dado na adaptação do universo da Casa das Ideias para o cinema. É superior ao anterior: tem tiradas mais legais, dosa melhor humor e ação e abrange mais cenários. É verdade que existe pouca química ou quase nenhuma entre Chris Hemsworth e Natalie Portman. E não faltam clichês. Porém, há Loki, o mais interessante desses personagens: manipulador, envolvente, é o tipo de vilão que o espectador acaba torcendo a favor. Fruto do roteiro, claro, e do carisma do ator Tom Hiddleston. Alguém cuja jornada desde o primeiro “Thor”, passando por “Os Vingadores” e chegando aqui, fazem dos três filmes sua trilogia. Ele vale a diversão. PS: Há duas cenas pós-créditos. Na verdade, uma durante os letreiros, que dá a deixa para “Os Guardiões da Galáxia” e apresenta Benício del Toro. A outra, bobinha, podia ser exibida antes.

Bons de Bico

bonsdebicoDois perus voltam no tempo para tentar impedir que a espécie vire o prato favorito das famílias no Dia de Ação de Graças, data comemorada nos EUA. Lida assim, a sinopse dá a impressão que estamos falando de um filme diferente. Porém, se lembrarmos de duas aves que precisam sobreviver e, em dado momento, um macho e uma fêmea aparentemente de personalidades diferentes se encontram e sentem atração um pelo outro, lembramos automaticamente de outra animação recente: “Rio”. A diferença é que “Bons de Bico”, que estreia nesta sexta, dia 8, é voltado prioritariamente ao público infantil. Tem sua mensagem ambiental, mas a maneira fofa de apresentar seus personagens, os filhotinhos, e as peripécias deles, agradarão muito mais os pequeninos.

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *