Flores Raras: Drama de Bruno Barreto é bonito, e corajoso até certo ponto

floresraras

O diretor Bruno Barreto tem dito, em entrevistas, que seu mais recente filme, “Flores Raras”, não é sobre homossexualidade – a trama acompanha a verídica relação amorosa entre a célebre escritora norte-americana Elizabeth Bishop e a paisagista brasileira Lota de Macedo Soares, entre as décadas de 50 e 60, quando a autora veio ao Brasil para, inicialmente, ficar duas semanas, e passou quase 20 anos aqui.

Ao dizer isto, o cineasta parece justificar a falta de maior ousadia nas cenas entre as personagens, interpretadas respectivamente pela australiana Miranda Otto, em grande atuação, e a brasileira Glória Pires. É um filme corajoso: aborda o casamento gay e adoção de filhos. Mas essa coragem vai até certo ponto.

Talvez por que Barreto tente criar uma obra bem dosada demais, agradar a todos, inclusive ao retratar um período político do Brasil. E essa dosagem tente mostrar o quão hollywoodiano ele pode ser: nos enquadramentos, nas composições, nos diálogos, no limite entre o drama e o melodrama.

Ou, simplesmente, ele deseja contar uma história de amores correspondidos, amores frustrados, intensidade e sensibilidade, alegria e infelicidade.

Entra aí, inclusive, uma terceira figura, Mary (Tracy Middendorf), mulher de Lota e que deseja ser mãe. Há o triângulo amoroso. E ninguém é poupado. Todos terão suas cicatrizes. Todos serão transformados.

“Flores Raras” é um filme bonito, mais equilibrado e profundo que outros do cineasta, e que derrapa na escolha de Glória Pires para viver Lota. Veja bem: trata-se de uma grande atriz, das melhores que temos. Mas ver a forma como constrói sua personagem remete, instantaneamente, ao seu papel em “Se eu Fosse Você”.

floresrarasFlores Raras
Drama. De Bruno Barreto. Com Glória Pires, Miranda Otto, Tracy Middendorf.
118 minutos.

Estreia: 16/08/2013.

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *