Voltando ao futuro

back-to-the-future-collectionVoltamos ao conteúdo do texto passado, para continuarmos a analisar as propostas para o futuro (?).

Voltamos, aliás, à mesma pista, na mesma revista e ao mesmo “cientista” – sempre que vejo a palavra cientista eu me lembro de Madame Karaminsky, aquela “cientista temporal” e vatídica que é personagem de uma de minhas Croniquetas.

Madame Karaminsky, depois que foi elevada à condição de cientista, ganha fartamente a vida predizendo o futuro, mesmo que os resultados do porvir nem sempre se cumpram. Hoje em dia, qualquer um é cientista, seja lá do que seja, basta se arvorar a tal.

Voltando ao tal “cientista” – diz ele, que uma empresa norte-americana tem como objetivo montar uma base humana em Marte, no prazo de vinte anos.

Segundo o mesmo “intelectual”, ainda não dispomos de tecnologia suficiente, mas talvez em algumas décadas consigamos modificar o clima na Lua ou em Marte, do jeito que bem entendermos.

É aí que o teimoso aqui, pergunta se não seria possível modificar o clima da Terra, acabando com as secas, com as inundações ou com o frio e o calor excessivos. Talvez fosse possível até acabar com a fome.

Afirma o mesmo “aluado” e professor da universidade construída pela Nasa e pelo Google, que teremos de desocupar o planeta Terra, porque ele está em rota de colisão com muitos asteróides, cometas e meteoros. Aí, indo para a Lua ou Marte, garantiremos a sobrevivência da humanidade.

Imagino que o mais provável é que sejam os norte-americanos os primeiros a desembarcar em Marte para fincarem a sua bandeira e tomar posse da área que, com certeza não será dividida em Capitanias Hereditárias, como por aqui.

Se houver habitantes, só serão dizimados por acidente ou, então, confinados em “reservas marcianas”…Isso mesmo! Tais e quais.

Depois dos norte-americanos chegarão os russos ou os norte-coreanos para delimitarem seus espaços e panfletarem em nome de seus regimes políticos…Cada um melhor que o outro. A vida na Terra que o diga!

Viemos em defesa dos direitos humanos dos robôs…

Os nativos já eram…Foram!

As discussões das questões políticas e a divisão de áreas, fatalmente levarão às desavenças irretratáveis e a possível deflagração da Primeira Grande Guerra Marciana (ou Lunática, como todas), onde os meus e os seus bisnetos ou tetranetos – talvez ainda com os mesmos sobrenomes -provavelmente estarão envolvidos numa imensa batalha campal ou virtual.

Realmente são apenas conjeituras, mas podemos consultar as bolas de cristal de Madame Karaminsky.

– Bolas?

Ela se encolhe, tímida.

– Madame, a senhora já não foi cientista político?

Apenas um sorriso amarelo.

– Não pense que me “enrola”, porque eu encho suas orelhas de porrada.

2 thoughts on “Voltando ao futuro

  1. Muita coisa séria e importante, dita de forma divertida e agradável. Às vezes penso mesmo em mudar de planeta…

  2. Felizmente a bendita viagem de volta ao mundo terminou e eu tenho o imenso prazer em compartilhar com você os meus escritos, Jansen.
    Tenho a alegria de vê-lo participando, opinando e sempre incentivando de forma amiga, esse meu alinhavar despretensioso de temas cada vez mais malucos.
    Não adianta mudar de planeta, se os mesmos lunáticos vão estar por lá.
    Não há fuga possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *