Person of Interest lembra Minority Report e tem tudo para engrenar


Em 2002, Steven Spielberg lançou o filme “Minority Report” baseado na obra do autor Philip K. Dick. A história passava pela prevenção de crimes antes que eles acontecessem, sendo isso possível devido a três jovens com poderes psíquicos denominados “precogs”. Utilizando mais ou menos da mesma premissa, mas passando sobre outro viés, Jonathan Nolan (de “Batman –  O Cavaleiro das Trevas” e “O Grande Truque”) criou uma série intitulada “Person Of Interest”, que conta com J.J. Abrams (“Lost” e “Fringe”) na produção executiva.

A série que estreou nos Estados Unidos pela CBS em 22 de setembro, chegou ao país através do Warner Channel no dia 18 de outubro e passará sempre às 21hs das terças-feiras. Nela, Michael Emerson (o Benjamin Linus de “Lost”) vive Finch, um milionário que fez fortuna ao desenvolver para o governo uma máquina que identificasse possíveis suspeitos de ataques terroristas, efeito prático dos acontecimentos do 11 de setembro de 2001. Dez anos depois, ele resolve utilizar a máquina que criou para outros fins.

Essa máquina se utiliza de um cruzamento de dados pessoais com câmeras de vigilância para mostrar números do seguro social de pessoas que serão envolvidas em assassinatos, tanto como vítimas, quanto como executores. Essas pessoas para quem o governo não dá a mínima ficam sendo o foco de Finch, que contrata um agente renegado e dado como morto para ser seu braço de operação. Jim Caviezel de “A Paixão de Cristo” interpreta John Reese, esse agente que há muito já desistira da vida por conta de tragédias pessoais.

Nos seus primeiros episódios, “Person Of Interest” fica apenas nas promessas. A maneira que a máquina identifica os alvos é simplesmente arremessada ao telespectador e não apresenta maiores detalhamentos. O casamento entre milionário e agente não funciona muito bem nesse início, deixando um pouco de pressa nos aceites e envolvimento. Por outro lado, como simplesmente um pequeno thriller de ação e suspense, as coisas funcionam melhor e distribui soluções criativas e surpreendentes para o fechamento dos episódios.

Com atores conhecidos completando o elenco como Taraji P. Henson de “Larry Crowne – O Amor Está de Volta” (detetive Carter) e Kevin Chapman, de “Sobre Meninos e Lobos” (detetive Fusco), além de experiência na parte técnica, vide a presença de C.J. Simpson (“Lei e Ordem”) na direção de arte e Jason Hearne (“Community”) nos efeitos visuais, “Person Of Interest”, tem tudo para vingar no decorrer dos seus prometidos 22 episódios, afinal de contas, o criador e o produtor executivo costumam ter mais acertos do que erros na carreira.

PERSON OF INTEREST
(Idem, EUA, 2011).
Criador: Jonathan Nolan.
Elenco: Jim Caviezel, Kevin Chapman, Michael Emerson, Taraji P; Henson.
Drama / Thriller.
44 minutos por episódio.

Adriano Mello Costa, apaixonado por Cultura Pop, mantêm o Coisa Pop há cinco anos, filho bastardo do antigo Cultura Direta, que hoje hiberna tranquilamente. Acha o R.E.M a melhor banda do mundo (depois dos Beatles, lógico). É viciado em cervejas escuras, pães e bandas de rock com mulheres no vocal. No mais, acredita que tudo pode sempre ser melhor do que já é...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *