Novo Homem-Aranha das HQs, negro, é alvo de chiliques direitistas nos EUA

Miles Morales, o novo Homem-Aranha

A imbecilidade segue de vento em popa. Com tantos problemas relevantes a serem solucionados, há quem prefira continuar apontando para o que não deveria incomodar. Não. Não se trata da censura a “A Serbian Film” no Brasil. Atitude ridícula contra um filme – fraquinho cinematograficamente – que passaria despercebido, não fosse um político idiota. O assunto em questão acontece nos Estados Unidos e volta a envolver as histórias em quadrinhos. Depois da imprensa de extrema direita atacar a “renúncia” do Superman à cidadania americana, é a vez do novo Homem-Aranha, negro, ser o estopim de chiliques direitistas.

Glenn Beck é o principal defensor da direita conservadora norte-americana, com programas na TV e no rádio que massacram diariamente o atual governo Barack Obama e respectivos partidários. Na quarta-feira passada, a metralhadora giratória de críticas do sujeito teve um alvo fora do comum: o novo Homem-Aranha do Universo Ultimate, da Marvel.

O personagem Miles Morales, que substituirá Peter Parker na pele do herói aracnídeo, é negro e de ascendência latina (e, a Marvel afirma que não é gay, apesar de rumores que circularam nos últimos dias). Beck foi incisivo: “o novo Homem-Aranha é a cara do presidente Obama”.

As besteiras cuspidas por Beck não param por aí. Ele vai além da semelhança física entre o presidente e os traços desenhados por Sara Pichelli, falando de “conspiração Obama para transformar os valores americanos”. No rádio, Beck relaciona a notícia do novo Aranha a um discurso da primeira-dama Michelle Obama, ainda no período de campanha eleitoral, quando ela disse: “teremos que mudar nosso discurso, teremos que mudar nossas tradições, nossa história”.

“Esse Homem-Aranha é meio-latino, meio-negro. Não estou nem aí se é meio-latino, inteiro-latino, meio-negro, todo-negro, sei lá… Não me interessa, não me interessa mesmo. Meio gay, todo gay, não me interessa. Não me interessa! É um gibi imbecil”, balbucia.

O coitado deve ter surtado quando foi noticiado, durante a semana, que o Perry White do novo filme do Superman, será Laurence Fishburne. O ator, negro, representará em “O Homem de Aço” (previsto para 2013) um personagem até então retratado como branco.

O CineZen é contra toda e qualquer estereótipo racial e considera saudável que personagens importantes ganhem versões de raças, etnias, nacionalidades variadas. Mesmo por que, acima de qualquer rótulo, há algo muito mais valioso: o ser humano.

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *