Jogo de Poder escancara farsa que iniciou guerra no Iraque

O cinema muitas vezes dá bola fora. Em outras várias, repara injustiças da vida real. Mesmo que não atraia multidões, possibilita ao público, seja na sala de projeção, ou depois em home vídeo e na televisão, ver a versão de determinado fato que não obteve a devida resolução perante a sociedade. Exemplo de “Jogo de Poder”. O filme narra a trajetória do casal que foi traído pelo governo dos Estados Unidos e injustamente massacrado pela mídia de extrema direita daquela nação.

Em 2003, o diplomata Joe Wilson escreveu um editorial para o jornal New York Times, no qual alegou que a administração do então presidente George W. Bush manipulou informações de relatórios sobre a existência de armas de destruição em massa no Iraque, de forma a justificar a invasão ao país do Oriente Médio e iniciar a guerra. Como retaliação, a identidade de Valerie Plame (Naomi Watts), esposa de Wilson e agente secreta da CIA, foi revelada à imprensa, o que resultou na sua exclusão da agência e na perseguição da mídia e da opinião pública.

Baseado em dois livros, The Politics of Truth, escrito por Wilson, e o que dá título original ao filme, da autoria de Valerie, o longa não recebeu a repercussão merecida nos Estados Unidos. Talvez por que os norte-americanos não se interessem em ver como foram manipulados. Mas é um filmaço que inicia como eficiente thriller de bastidores da política e evolui para um forte drama familiar. O mérito em transitar entre gêneros distintos sem parecer duas histórias dentro de uma está no roteiro conciso e nas atuações de Sean Penn e Naomi Watts, que vivem o casal protagonista, além do ótimo elenco coadjuvante. Tudo amarrado pela direção certeira de Doug Liman, que já passeou por tramas de espionagem inteligentes e capazes de divertir, como “A Identidade Bourne” (2002) e “Sr. e Sra. Smith” (2005). Independente do interesse ou não por política, “Jogo de Poder” envolve o espectador e não o deixa desviar os olhos da tela. É um trabalho importante, consistente e necessário enquanto relato histórico e cinema dos bons.

JOGO DE PODER
(Fair Game, EUA, Emirados Árabes Unidos, 2010).
Direção: Doug Liman.
Roteiro:
Elenco: Naomi Watts, Sean Penn, Ty Burrell, Brooke Smith, Thomas McCarthy, Jessica Hecht, Noah Emmerich, Bruce McGill, Sam Shepard.
Thriller / Drama.
108 minutos.

Estreia no Brasil: 18/03/2011.

Lançamento em DVD e Blu-ray: Julho/2011. 

Leia mais sobre e comente o filme também no Cinemaki.

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *