Sorte?


Marcos, 43 anos, trabalhava como metalúrgico, é separado e tem uma filha de 17 anos.

Era aniversário de sua filha e ele, mesmo sem ter condições financeiras pra isso, prometeu-lhe um celular de última geração.

A menina completava 18 anos, mas era tão miudinha que aparentava 15.

Ele estava disposto a cumprir sua promessa. Marcaram um encontro em frente ao cursinho de inglês que ela fazia, de onde ele a levaria para tomar um lanche e entregar-lhe o presente.

Chegando o dia do combinado, Marcos deveria estar no local às 17 horas, mas saiu do trabalho bastante frustrado, pois não conseguiu um empréstimo com amigos, como planejara, porque todos estavam no “zero”.

Marcos então pegou seu ônibus e partiu de encontro à filha.

A menina estava prestes a sair do cursinho e, assim que saísse, iria para a frente do prédio numa avenida movimentada de São Paulo.

O pai, muito triste e por sinal muito atrasado também, enfrentou ainda um trânsito terrível e, a poucas quadras do local, parou de vez!

Marcos, vendo que chegaria muito atrasado, resolveu descer do ônibus e seguir a pé e, enquanto caminhava pelas calçadas, pensava em como diria à filha que o celular ficaria para o outro mês…

Quando virou uma esquina, trombou com um homem aparentando ser bem de vida, trajava terno e gravata e, nas mãos, tinha umas pastas.

O homem, muito educado, desculpou-se com Marcos, dizendo:

– Perdão, estou muito atrasado para ir ao banco!

Marcos aceitou suas desculpas, dizendo:

– Então corra, pois o banco já estava fechando quando passei em frente!

O homem agradeceu e foi embora!

Marcos continuou sua caminhada, de repente ele tropeça num pacote não muito grande, ele se abaixa e o apanha…

Quando abre o embrulho, se depara com um montante em dinheiro e não acredita no que está vendo!

Então se lembra do homem com quem trombou a uma quadra dali e, pergunta a si mesmo:

– Será que era dele esse dinheiro? Será que devo devolver? Oh, meu Deus! O que eu faço?

Um silêncio toma conta de seus pensamentos, e então decide ficar com o dinheiro!

Ele se dirige até uma loja de celulares, escolhe um de última geração e efetua a compra.

Enquanto isso, sua filha, impaciente, esperava em frente ao prédio.

No banco, aquele homem que trombou com Marcos, espera para ser atendido, nervoso, pois teve problemas com a porta giratória.

Chegando sua vez, ele passa todas as contas para o caixa do banco, que ao ver que uma das contas estava vencida, se negou a passá-la, pois tinha que ser paga no banco no qual a empresa tem conta.

O homem então exclama:

– Mas como?  Hoje é dia tal e o vencimento é só no dia tal (posterior)!

O caixa do banco responde:

– Senhor, está escrito aqui: “Receber dentro da data de vencimento. Após essa data, pagável somente no banco correspondente.”

O homem, nervoso, sai do banco, pega seu carro e parte em disparada!

Enquanto isso, no outro quarteirão, a filha de Marcos, continua impaciente esperando pelo pai, quando, de repente, olha do outro lado da avenida e pensa tê-lo visto entrando numa loja.

Sem pensar duas vezes, a menina atravessa, sem se dar conta que um carro vem em alta velocidade…

E é atingida em cheio!

Ela bate no capô e é lançada para longe…

Foi fatal!

As pessoas correm para ver o que aconteceu e tentam socorrê-la, mas ela já estava morta!

O motorista desce do carro e diz:

– Não foi culpa minha! Estava aberto pra mim, ela que apareceu na minha frente! Eu não pude evitar!

Testemunhas confirmam essa versão!

O pai da menina vê aquela aglomeração e se aproxima da multidão que rodeia aquele corpo…

Quando ele chega mais perto, vê a filha estirada no chão…

Se ajoelha ali mesmo…

Em uma das mãos, ele levava o tão sonhado presente da menina e, na outra, o pacote de dinheiro que havia achado…

Ele então grita:

– Não, minha filha não! Quem fez isso? Vou matar!

Então o homem que atropelou a menina aparece atrás dele e diz:

– Fui eu! Mas não tive culpa!

O pai, furioso, se levanta para ver a pessoa que matou sua filha…

Ainda com os pacotes nas mãos, ele se vira, olha e, atônito diz:

– Você?

O homem responde:

– Sim! E esse pacote em sua mão me pertence e, é por causa dele que eu saí nervoso do banco!

**

Caros leitores, depois de vocês lerem esse texto, faço a seguinte pergunta: E a vida, ela ensina?

Nascido em Guarulhos, São Paulo, escreve desde 2008, não tem influencias literárias, usa sempre suas próprias métricas e regras, escreve não para se tornar conhecido, mas sim para dividir seu conhecimento! Mais sobre sua obra no seu blog.

36 thoughts on “Sorte?

  1. O destino é incerto!Que história triste!! disse:

    História mais triste essa!!Muito comovente!

  2. Ensina meu amigo e muito!! Ele errou feio desde o começo, desde quando ele fez a promessa para a filha sem estar preparado financeiramente. Se ele não tivesse feito a promessa nada disso teria acontecido, ele teria evitado tudo isso. Ele tinha que se planejar melhor finaceiramente, e depois de alcançar o seu objetivo, ai sim ele faria uma surpreza para a filha sem gerar expectativas e ansiedades na filha! Com uma simples precipitação, ele tomou a decisão errada, e numa simples decisão e precipitação, olha só a consequencia que terrível que ele teve! Esse texto serve para nós como lição e para nós refletirmos melhor, antes de tomar qualquer decisão, para que não nos precipitemos, assim como o nosso amigo Marcos. Beijos meu amigo! Adorei o seu texto! Um Bom Dia pra vc! By

  3. Sabemos que isso acontece a todo instante,histórias de furto : Apropriar do bem alheio hoje é comum,os insensatos assim procedem,mas se dão mau..se não pagarem aqui certamente na outra vida pagarão..apesar de eu cer um pouco cético quanto á castigos do Pai,mas cito o Sabio Salomão..mais ou menos isso q ele disse;
    É que sucede a todo o que é ávido de lucro vil..
    a própria vida lhe será tirada.
    comerá o fruto de sua conduta
    e fartar-se-a de suas próprias tramas.

    P.J parabens pelo texto poeta,abraços

  4. Isso é que é ter azar rs… Antes ele só estava sem dinheiro e
    depois conseguiu ficar também sem a filha kkkkkkkkk

  5. Grande P. Junior!
    Parabéns por seu texto amigo, muito bom, gostei!

    Forte abço

  6. Muito triste esse nosso mundo onde as coisas materiais prevalecem.
    Muitas vezes não porque queremos,mas pelo fato de que tudo nos leva à busca do vil metal,assim como aconteceu com Marcos e sua filha.Ela queria ter um celular atual.
    Assim é o mundo. Devemos criar nossos filhos mais espiritualizados,tentando tirá-los um pouco desse foco capitalista.
    Gostei muito PJ…parabéns!!!

  7. Emocionante demais!
    Um enredo digno de novela!
    Vou torcer para que essa história não tenha acabado aqui…
    Claro que a vida ensina, a duras penas, mas sempre ensina!!!
    Marcos perdeu a filha não por ter prometido algo que não poderia lhe dar, mas por ter se apossado de algo que não era seu…
    Por ter se deixado levar pela ambição e egoísmo…
    E você como sempre surpreendente… De gênio, de novo!!!
    Parabéns querido!!!
    Beijos

  8. A vida é uma roda, o que fizermos em nosso dia a dia, voltará na mesma velocidade ou em maior rotação. Nem sempre os fins justificam os meios… e todos os ditados populares caberiam aqui.
    Mas não estou aqui pra isso. Estou pra dizer Pe que voce como sempre me comove.
    Beijos meu grande amigo.
    Parabens!

  9. Ana Cristina, Sirlene Rosa e Aninha ( Nina ) , agradeço vocês pelo comentário,
    e por sempre estarem dando essa força, não só a mim, mas a arte, a família
    CineZen agradece!

  10. Junior,bastante comovente e real.Tudo tem seu preço…..O que não nos pertence é um atraso na vida.Parabéns vc foi fantástico na narração…Voltarei sempre.
    Tenho um amigo escritor,uma pessoa fantástica..Gostaria que vc o conhecesse
    Bjusssss Ceiça Procópio.

  11. Eu sempre aprecio a sua maneira de escrever, e por trás de suas letrinhas, sempre uma diversão, uma poesia digna de aplausos, e muitas vezes, uma reflexão, uma importante lição de vida… Essa história passa, sim, várias lições, mas só percebe e aprende quem busca por isso… As pessoas tem o costume de dizer que o achado não é roubado, e se iludem com isso, como fez esse senhor, pois no seu íntimo ele tinha certeza a quem pertencia aquele dinheiro… Mas entre correr atrás do dono, e a tentação de poder comprar o presente prometido à filha, preferiu a última opção, pensando que seria o melhor para ele e para ela, mas não pensou em quantas lutas aquele homem passou para conseguir a quantia suficiente para pagar as suas dívidas, não pensou no próximo… As pessoas estão cada vez mais egoístas, mais donas de seus próprios atos, mas não querem sofrer as consequências de nenhum deles… Não pensam que a vida é um eco, que recebem de volta o que emitem… Parabéns, meu amigo! Te admiro muito, como escritor e como pessoa…

  12. Ceiça e Vannessa Adriana Butterfly, agradeço muito o comentário de vocês,
    Vanessa uma poetisa dona de uma sensibilidade ímpar , admiro o seu trabalho,
    Ceiça, eu conheço pouco, mas pelo que observei é uma grande conhecedora
    da literatura!

    OBRIGADO!!!!

  13. VOCÊ É INCRIVEL …KKKK
    OU FAZ AGENTE CHORAR DE DOR DAS ARMAS DA VIDA…
    OU DE PAIXÃO RECOLHIDA KKKKKKKKKK
    A VIDA É JUSTA!
    POIS ELA DA O QUE VC TRATOU COM ELA!

  14. ADRIANA, lindo verso: “VOCÊ É INCRIVEL …
    OU FAZ AGENTE CHORAR DE DOR DAS ARMAS DA VIDA…
    OU DE PAIXÃO RECOLHIDA”

    Meu muito obrigado!

  15. Pergentino…

    “A vida ensina para quem aprende, pelos arrepios que ela dá na gente.”

    Ficou tão bom que me provocou arrepios…

    Parabéns Poeta!

  16. Realmente é um fato para se pensar… Me levou a meditar em uma frase que eu trago comigo e lembro-me dela sempre que algum mal pensamento permeia a minha cabeça; “A vida é um espelho que nos dá de volta tudo aquilo que damos a ela.” Na verdade, somos obrigados a colher o que plantamos… Vale pela reflexão!!!

  17. Pergentino, tudo na vida é muito complexo até afirmar que a vida ensina, afinal existem uma série de coencidências que nos levam a pensar no “Se”, se eu fizesse isso não aconteceria aquilo….Porém é de se pensar porque? esse é o mistério que nos leva a pensar em quando várias coisas acontecem de forma que envolva as pessoas de tal forma e criar uma situação tão complexa como essa. Alguém sempre paga o preço para outras posssam refletir com os fatos…e repensem seus conceitos.bs.Hellina Moscow

  18. Hellina, muito boa a sua visão do texto, como diz alguma coisa tem que acontecer com alguém para que a vida ensine alguma coisa, mesmo que não seja para a pessoa envolvida, mas sim para terceiros!

    Obrigado!

  19. Na vida nossas ações são igualzinhas a um bumerangue. Tudo que lançamos de bom ou ruim volta com a mesma intensidade. Pra mim nosso céu e nosso inferno estão aqui onde pisamos. O final do texto não é surpreendente. Isto acontece diariamente na vida real. Mas não tenho Marcos como um vilão. Existe um sentimento maior que burla a integridade, a ética do ser humano. O amor incondicional que só existe num pai, e numa mãe. Marcos pagou caro por esse amor. Seria ótimo se ele tivesse seguido o homem, afinal o banco não era longe (ele disse que tinha passado em frente) entregue o dinheiro e recebido uma gratificação com a qual compraria o celular da filha amada. Mas isso não aconteceria. Ele só tinha o dinheiro para pagar as contas. Está bem vestido não o torna um homem de posses! Cartões de crédito e cheque especial existe pra gente parecer o que não é! Pobre Marcos! Ficou apenas com o celular da filha!

  20. Bernadete, palmas para seu comentário, foi perfeita a sua leitura, acho incrível como coisas que nem eu mesmo pensei em que o texto passasse, o leitor vê!

  21. Realmente um texto belo e linear nos trazendo os fatos relatados numa sequência temporal exata, em que não sobra dúvidas. Enfim uma catástrofe aparece. Pai cheio de bons sentimentos, sonhos de uma adolescente por realizar, vida por se iniciar, porém a fatalidade inerte nas decisões e casualidades. Como que se o erro por não ter devolvido o dinheiro viesse como um pagamento pesaroso e definitivo. Algo que roubou-lhe um pedaço da existência, pois perdeu um filho é ir contra a natureza do desenrolar da vida. Primeiro vão-se os pais depois os filhos e se isso inverte, é viver um do tormentos mais dilacerantes.
    O poeta retratou aqui que viver é perigoso. Ninguém tem a garantia de nada, nada nos pertence a não ser o tempo “agora”. E dentro desse “agora” dá pra se fazer muitas coisas.
    Parabéns Júnior, você mais uma vez nos levou a mais uma profunda reflexão a respeita da vida.
    Beijo!

  22. Ás vezes, nos precipitamos na vida,
    queremos alcançar nossos objetivos de forma imediata, realizar nossos sonhos o mais breve possível…

    Mas quando não conseguimos, nos decepcionamos.

    Meu querido poeta P. Júnior
    Que sente o peso da existência terrestre muito mais intensa e fortemente que outras pessoas por ser poeta
    Que sonha
    Que canta
    Que ama
    Que luta
    Que escreve
    Que faz poesia
    Quero lhe parabenizar pela sua inteligência e sua sensibilidade de transformar a vida em versos, em palavras.

    Você faz das suas poesias e textos instrumentos perenes, destilando verdade.

    Para mim seus textos são sinônimo de força, instrumento professo a esperança , o espaço à mudança, que deixa marcas , marcando.
    Percebo que sabes , o mistério da palavra e contigo tento aprender
    a leitura e a escrita dos recados do caminho.
    Beijo, Lú.

  23. Belíssima história, mas gostaria de postar meu comentário aqui, todos nós sempre queremos agradar nossos filhos todos os dias de nossas vidas, porém, a honestidade é um dom maior e quando somos honestos conosco conseguimos também ser honestos com o nosso próximo, imaginemos que o protagonista Marcos tivesse uma atitude diferente, ele também de certa forma escreveria com outras letras o seu destino, imaginemos que ao encontrar o pacote com o dinheiro que ele tanto precisava, devolvesse ao dono, pensamos: – Será!? que por agradecimento ele não obteria o que mais queria?! Ou mesmo que não, sua consciencia não ficaria em paz? Examinemos a cada dia nossa consciencia e busquemos todos a paz que tanto merecemos!
    Bjos em ti meu poeta da paixão e muita paz a todos nós, amo os seus textos!

  24. Sônia Macedo, Luciana Celi , Val e Adriana Rudgi, agradeço vocês por sempre me dar essa força, fico muito feliz em saber que todo texto que eu escrevo, toca pessoas como vocês! OBRIGADO

  25. Pergentino Jr,meu caro amigo
    Texto belissimo que mostra toda tua sensibilidade.
    A vida nos ensina, com certeza
    É a escola mais completa que existe,
    Uns aprendem pelo amor; outros pela dor.
    Infelizmente, neste caso, a lição veio através da dor.
    Parabéns pra ti, sempre.
    Que possas continuar nos presenteado com textos reflexivos e inteligentes como este.
    beijos
    Regina Azenha

  26. Regina, fico agradecido pelo comentário e por eu estar aqui, pois se não fosse você, eu nem aqui estaria! Obrigado sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *