SBT entra para a história ao mostrar 1º beijo gay da teledramaturgia brasileira


Em meio a tanta hipocrisia, preconceito, velado ou não, e gente que tenta fazer a história e a evolução da humanidade irem contra a maré, eis que Tiago Santiago, o SBT e “Amor e revolução” merecem todos os elogios. Na noite de quinta-feira, foi ao ar o primeiro beijo entre duas pessoas do mesmo sexo na história da teledramaturgia brasileira.

A audiência, em si, não foi das melhores. Os números prévios do Ibope marcaram seis pontos na Grande São Paulo. Com isso, a emissora de Silvio Santos ficou em quarto lugar. Porém, muito mais importante que a audiência é o grande passo dado rumo a uma televisão no Brasil sem barreiras, que trate todas as pessoas, independente de raça, classe social, religião e opção sexual, com igualdade.

No capítulo, Dra. Marcela (Luciana Vendramini) revelou para Marina (Giselle Tigre) que está apaixonada pela amiga. Marina disse que a advogada é muito bonita e sensual, mas que a situação é muito inesperada, embora excitante. “Assim você me provoca”, retrucou Marcela, pouco antes da duas se beijarem. Enquanto se beijavam, Marina pediu para a amiga parar, mas Marcela disse que não queria. Confira o vídeo com o beijo:

http://www.youtube.com/watch?v=dwstZcS48lo

Além do senhor beijo, é preciso destacar o bom gosto e a beleza das atrizes, ainda que a trilha sonora dê um leve toque de novela mexicana.

Os mais velhos poderão lembrar que Luciana Vendramini já foi considerada uma das mulheres mais lindas do Brasil e destaque inúmeras vezes da revista Playboy, que a retratava como ninfeta.

Pelo Twitter, Tiago Santiago, o autor da novela, comemorou a exibição da cena: “Parabéns pela coragem. Não à violência e à homofobia. Parabéns, atrizes maravilhosas, Luciana Vendramini e Giselle Tigre. Parabéns, Reynaldo Boury (diretor). Viva o SBT, a TV mais alegre e menos preconceituosa do Brasil.”

“Amor e Revolução” se passa durante a década de 1960, nos primeiros anos da Ditadura. E, independente de sua qualidade, entra para a história por romper com padrões conservadores. Não se trata de mostrar um beijo entre mulheres para ganhar a audiência, mas de mostrar a realidade como ela é, com suas diversidades e diferenças, que precisam ser respeitadas. Que venham outras obras assim na televisão brasileira.

Vale lembrar, que militares desocupados tentaram censurar o programa em virtude das sequencias que mostram a tortura durante a ditadura. E, ainda bem, se deram mal. Que venham outras novelas com tamanha força e coragem!

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

One thought on “SBT entra para a história ao mostrar 1º beijo gay da teledramaturgia brasileira

  1. muito legal nao tenho nada comtra e acho que se todas as emissoras de tv apresentassen beijo gay,tanto entre homes como entre mulheres!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *