Sobreviventes – Os Filhos da Guerra de Canudos


sobreviventesSobreviventes – Os Filhos da Guerra de Canudos (Idem, Brasil, 2007). Direção e roteiro: Paulo Fontenelle. Documentário. 76 min. (Cor). Áud: Port (Dolby digital 2.0). Leg: Port, Ing e Esp.

Diferente de outras cidades brasileiras que presenciaram revoluções e conflitos armados marcantes da história brasileira, e depois prosperaram e até viraram pontos turísticos, Canudos, no interior da Bahia, palco do confronto de integrantes de um movimento popular de fundo sócio-religioso liderado por Antônio Conselheiro, com o exército, entre 1896 e 1897, atualmente é um município pobre, e que, exceção feita à série de TV da Globo, às aulas de história e obras esporádicas, é um local praticamente esquecido no restante do país.

O documentário “Sobreviventes – Os Filhos da Guerra de Canudos”, realizado por Paulo Fontenelle (não confundir com o diretor Paulo Henrique Fontenelle, também autor de documentários, no caso “Mauro Shampoo – Jogador, Cabelereiro e Homem “ e “Loki – Arnaldo Baptista”), que estreou com outro filme do gênero, “Evandro Teixeira – Instantâneos da Realidade”, corrige essa situação ao flagrar a vida de pessoas que descendem daqueles que viveram o conflito.

sobreviventes_um1Somos apresentados a figuras como “seu” Antonio de Isabel, que durante as gravações da obra estava com 110 anos de idade e podia gabar-se de ser o único homem vivo a ter conhecido Antonio Conselheiro; “seu” João de Régis, cujos pais escaparam nos últimos dias da guerra; e Dona Zefa de Mamede, filha de uma mulher que saiu de Canudos, no final do confronto, para procurar comida.

Todos relembram fatores contados por seus parentes, sempre tratando Antonio Conselheiro de forma positiva, como um herói, e Canudos, como um local mítico, que atraiu gente de outros estados brasileiros em virtude de um sistema democrático, que possibilitava a todos usufruírem do trabalho de maneira justa, sem criar disparidades sociais, fato que teria contrariado a república.

Ainda que o gênero documentário ainda sofra certo bloqueio do grande público, que em boa parte também evita tramas que mostrem pobreza, “Sobreviventes – Os Filhos da Guerra de Canudos” cumpre o seu papel ao resgatar um momento importante da história nacional de forma direta e reta, com dignidade, e que merece respeito.

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

One thought on “Sobreviventes – Os Filhos da Guerra de Canudos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *