Entrevista – Mario Tirolli

tirolliEm 29 de setembro, no restaurado Theatro Guarany, no Centro Histórico de Santos, aconteceu um espetáculo especial em virtude da comemoração dos 25 anos de carreira do maestro Mario Tirolli.

Formado em Música Popular pela Universidade de Campinas (Unicamp) e em Regência pelo Conservatório Musical de Cubatão, Tirolli é pianista, tecladista, arranjador, regente, compositor e cantor e recentemente gravou o CD Mar de Amor.

O evento, que teve entrada gratuita e começou às 20h30, além do homenageado, reuniu outros cem músicos. Entre eles solistas e integrantes do Quarteto de Cordas, Orquestra e Coral Tirolli, Jazz Big Band, Coral da Alfândega, de Santos, e Coral Zanzalá, de Cubatão.

Em conversa exclusiva com o CineZen, Tirolli contou como surgiu a vontade de ser músico, os momentos mais marcantes de sua carreira e comentou o mercado musical no país.

Como surgiu seu interesse pela música? Quais foram suas influências?
Mario Tirolli – Desde muito pequeno eu estudava música em conservatórios, professores particulares e cursos livres. Meu interesse pela música foi natural. Minhas principais influências foram Chopin, Debussy, Tom Jobim, música negra americana, chorinho, entre muitas outras.

Nesses 25 anos de carreira, quais foram os momentos mais marcantes e as maiores dificuldades para continuar vivendo da música?
MT – Os momentos mais marcantes foram os shows que fiz com a Big Band ao lado de Cesar Camargo Mariano e Danilo Caymmi. Outro momento especial foi quando toquei “Rapsódia em Blue”, de Gershwin, com a orquestra da UNICAMP, em 1992. A maior dificuldade para viver de música é a inconstância. Há tempos que se trabalha muito, Há outros que não.

Qual sua opinião sobre o mercado musical brasileiro? É possível, para quem  não faz parte de grandes gravadoras, viver apenas de música?
MT – Claro! Eu sou prova disso… Há muito mais possibilidades de viver de música fora da grande mídia do que dentro dela.

O show foi um momento especial também na sua carreira…
MT – Esse show foi especialíssimo, com participação de muitos dos que trabalham comigo. Talvez o grande mérito desse show tenha sido a junção dessas pessoas.

Quer deixar um recado para quem pensa em virar músico?
MT – Estude muito.

Para saber mais sobre o músico acesse http://www.rodriguesalves.com/clientes/tirolli_com_br/.

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *