Poesia: Era uma vez…

Por Regina Azenha

era-uma-vez
Neste mês de outubro, quando é comemorado o DIA DAS CRIANÇAS,resolvi deixar um poema que mostra bem a pureza dos sentimentos que norteiam a infância.

Se todos nós adultos mantivéssemos ao longo da vida uma parcela dessa pureza,  com certeza o mundo seria bem melhor.

Inspirei-me nas formigas, graças a um amigo muito querido, porque as maiores virtudes desses insetos são a sociabilidade, companheirismo e dedicação ao trabalho.

Que todas as crianças possam ter direito a educação, cultura, lazer, saúde, paz, amor e que possam construir amizades verdadeiras como as “formiguinhas” deste singelo poema.

Era uma vez…

Na correria do dia a dia, em um lindo formigueiro,
um “menino” formiga  vindo de muito longe,
convidou uma “menina” formiga para que pudessem
se conhecer…

A “menina” formiga  ficou pensativa…
– O que será que esse “menino” formiga vai querer?
Ela ainda relutou, analisou
e por fim decidiu. O convite aceitou.

No inicio, pouca conversa,
os dois ainda meio sem jeito,
mas aos poucos se entendendo,
descobriram afinidades,
e logo uma linda amizade
foi nascendo.

Agora, entre um e outro trabalho
passam horas conversando,
assunto é o que não falta,
nem percebem o tempo passando…

O sentimento que os une,
é puro e verdadeiro,
e com certeza se fará
amizade pra vida inteira.

Santista e faz poesia desde criança. Escreveu três livros: Mulher: Amor e Poesia, em 1986 (pelo qual ganhou o prêmio Robalo de Ouro Brasil 1989), Fragmentos & Mutações, em 1997 e Poesia a quatro mãos (2008), realizado em parceria com seu filho André. É admiradora do poeta e escritor J. G. de Araújo Jorge, e de autores como Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meirelles, Paulo Leminski, Mário Quintana, Fernando Pessoa, José Saramago, entre outros tantos. Entre os novos poetas, Pergentino Jr, poeta de Guarulhos muito talentoso, além dos santistas Valdir Alvarenga, Guida Linhares, Edilza de Souza Fernandes e Paulo Schiff. Amante da música, teve uma composição classificada entre as dez finalistas de um festival. Na Bienal do Livro do Sesc-Santos, Mulher: Amor e Poesia foi um dos livros mais vendidos entre os autores independentes. Amante das artes, atualmente exerce a atividade de artesã. Parte de seu trabalho pode ser conferido no blog. No CineZen, estará colaborando com poemas, crônicas, textos sobre os filmes que é apaixonada e apontando poetas que estejam despontando na cena literária.

3 thoughts on “Poesia: Era uma vez…

  1. Que lindooooooo,ameiiiiiiiiii. Regina vc é demaisssssss,parabénsssss

    beijinhossssssss

  2. Ademar e Cátia,agradeço a presença e os comentários tão gentis.Que possa existir dentro de nós aquela criança que sonha…que acredita na veracidade dos sentimentos.Beijos.Regina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *