Jeitinho Brasileiro

Por Pergentino Júnior

pergentino_jeitinhobrasileiro

Todo mundo aqui conhece ou já deve ter dado o jeitinho brasileiro.

Se não conhecem, vão conhecer e aprender a dar o jeitinho brasileiro.

Conheci um cara chamado Ted.

Ted era um rapaz batalhador, chegou a ter dois empregos e ainda fazia bico nos finais de semana como segurança de boate (pra ser mais sincero, puteiro).

Ted fazia de tudo, topava tudo para ganhar uma grana, desde que não tivesse que matar, roubar ou muito menos que traficar drogas!

Ele queria mesmo era ganhar seu dinheiro honestamente.

Certa vez um homem lhe fez uma proposta de ganhar dinheiro no garimpo.

Ted vendo aquele homem cheio de correntes de ouro, penduradas no pescoço e nos pulsos, topou na hora.

Então os dois foram à caça ao tesouro, só que a única coisa que Ted conseguiu pegar lá, foi febre amarela. Ele ficou muito mal, à beira da morte.

Diante disso, sua família tomou as providências necessárias para trazê-lo de volta a São Paulo, onde ficou internado e se recuperou rapidamente, retomando assim a sua vida.

Não demorou muito, ele arrumou um emprego de Estoquista em um Supermercado.

O que ganharia, era suficiente para se sustentar perfeitamente.

Em uma ocasião, Ted entrou em uma loja de eletrodomésticos e ficou olhando os produtos, o vendedor foi logo atendê-lo, perguntando:

– O senhor deseja alguma coisa?

Ted responde:

– Por enquanto não, estou só olhando! Obrigado!

– Ok então! Fique à vontade.

Qualquer coisa é só chamar, meu nome é Gilberto!

Ted só balançou a cabeça em sinal de agradecimento e o vendedor saiu.

Ted ficou ali por alguns minutos, admirando os produtos e teve uma brilhante ideia!

No outro dia, logo que saiu do trabalho, comprou uma câmera daquelas descartáveis e dirigiu-se à mesma loja que esteve antes.

Foi à seção de áudios e escolheu um rádio, o mais barato que tinha, daqueles pequenos com AM/FM e toca-fitas.

Ted pegou sua câmera e tirou uma foto do rádio.

O vendedor vendo aquilo, foi até ele perguntar o por quê dele estar tirando foto do aparelho.

Ted respondeu:

– É para mostrar ao meu pai, para que ele me diga se é este mesmo quer, já que não pode vir aqui (claro que era mentira de Ted).

Ted então foi embora, revelou a foto e passou em uma papelaria para comprar uma daquelas rifas que vem com nomes de mulheres.

Ted anexou a foto do tal rádio na rifa e saiu vendendo para amigos e parentes, mas sempre oferecia no dia do Vale ou do Pagamento, para não tomar calotes.

Em um mês e meio, vendeu toda a rifa, divulgou o ganhador para todos os compradores e prometeu entregar o prêmio no outro dia.

No dia seguinte, foi até a loja e comprou o rádio, o restante do dinheiro guardou com ele, já que o valor arrecadado com a rifa foi duas vezes maior que o valor do rádio.

Ele então, com o rádio na mão, o vendedor pergunta:

– Vai levar? Nós parcelamos para o senhor!

– Vou levar sim, mas vou pagar à vista, tem desconto?

O vendedor responde que sim e saiu para buscar o aparelho no estoque.

Ted vendo que aquela era uma maneira de ganhar grana, sem prejudicar as pessoas, aproveitou e tirou fotos de uma geladeira, de um fogão e de um aparelho de som estéreo.

Vendeu todas as rifas novamente e ficou bem na fita, como dizem!

Bom caros (as) amigos (as), é esse o jeitinho de brasileiro de ser, mas aproveitando que estão aqui e leram minha Crônica, venho oferecer a vocês um número de rifa para que concorram a uma casa no valor de R$ 500.000,00.

A casa pode ser visualizada na foto acima que ilustra esta Crônica.

O número custa apenas R$ 150,00 e o sorteio será feito pela Loteria Federal.

Para quem quiser adquirir um número, mande um e-mail para: thethedoors@hotmail.com, que passarei as coordenadas para aquisição.

Nascido em Guarulhos, São Paulo, escreve desde 2008, não tem influencias literárias, usa sempre suas próprias métricas e regras, escreve não para se tornar conhecido, mas sim para dividir seu conhecimento! Mais sobre sua obra no seu blog.

12 thoughts on “Jeitinho Brasileiro

  1. Esse ñ é um jeitinho brasileiro, isso chama-se trambique mesmo. O Ted é um dos maiores trambiqueiros q conheci agora.
    Mas ñ posso deixar de elogiar vc, poeta, pela sua criatividade e engenhosidade.
    Parabéns mais uma vez.
    Ah! Ia me esquecendo, mto obrigada por me oferecer a rifa, mas ñ aceito ñ.
    Bjs

  2. Um pouquinho do nosso Brasil! Levar vantagem é coisa nossa…rsrsr. Ótima crônica!
    Agradeço a rifa da casa, mas passo adiante! Boa sorte! kkk Um beijo

  3. Este é o mais comum brasileiro dentre tantos q fazem isso a muitoooo …
    são os caloteiros .. os que se acham espertos, porem, um dia caem … não não .. de Ted a Politica ta cheiaaaaaa…..
    quanto a rifa… num gostei da casa .. prefiro menor.. rsrsrsrsrss
    beijos meu amigo

  4. Caro amigo poeta ,
    vc descreveu perfeitamente , o jeitiinho brasileiro , Parabens

    qto a rifa , obrigada , mais nao gosto de rifas , beijos , e parabens pelos contos

  5. P. Junior, pessoalmente não gosto muito do jeitinho brasileiro, esse rotulo que nos faz um povo capaz de falcatruas e impunidades, mas a crônica é interessante, apesar de considerar seus poemas e contos mais atrativos. Ressalatando que é um genero literario que me agrada mais. Quanto a rifa da casa, assim como a colega acima, agradeço porque é realmente grande e não tenho tempo pra isso na minha vida !
    Beijo e parabéns por suas publicações…

  6. Li, reli e reitero que gostei da tua proposta.
    Quero comprar sim, mas vou ter que dar um jeitinho pra pagar, pode ser no cartão de crédito, guri? Incrível como tu foi criativo. Parabéns Bjs

  7. Felicitações pela criatividade na narrativa PJ.
    Infelizmente é uma constatação de como as pessoas ignoram o que é
    educação, honestidade e respeito.
    bjos

  8. oi lindo poeta, aqui estou… o texto é original, leve e de conteúdo eloquente… Adorei o Ted porque ele é guerreiro. O caminho percorrido pelo seu personagem é limpo e o lucro arrecadado é premio pelos esforços. Criatividade é essencial para a sobrevivência neste mundo tão corrupto, onde minoria abraça as oportunidades, ficando o desemprego, fome e miséria, destinado a um alto indice de pessoas que possuem a mesma necessidade, ou seja, a de trabalhar e ter seu salário para sobreviver. Dentro de cada um de nós existe um TED almejando viver e usufruir do que a vida pode oferecer de melhor.Que o nosso Ted permaneça firme e forte …
    Beijosssssssssssssssss

  9. Quem sabe sem “jeitinho”, esse país ainda tenha jeito!! Perfeita essa sua abordagem, querido. E olha, a ideia da rifa não é ruim não!! rs. Beijos… Belíssima estreia na categoria “Crônicas”.

  10. Você, como sempre, nos surpreendendo com o “seu jeito”, criativo, talentoso, e irreverente ao colocar suas idéias no papel.
    Parabéns!! Belo texto!! Leve e com humor, mesmo ao retratar a situação difícil do nosso povo, que para sobreviver, também tem que usar de muita imaginação e criatividade. Será que tem jeito??? Bjssss e Sucesso sempre!!

  11. essa é uma das facetas do brasileiro de “ficar bem na fita”, acho que é um jeitinho criativo e honesto, pois ele entrega o prêmio…O mais interessante é que brasileiro confia muito nos Ted’s da vida, porque tem os Ted’s honestos e os caloteiros…Acho que não sabemos dizer não. Se um amigo Ted te oferece uma rifa no dia do seu salário, o que vc faz? vc compra mesmo contra sua vontade! rsrs…Uma bela crônica, ficamos curiosos para ler até o fim e saber o que acontece com Ted e tem um desfecho divertido e surprendente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *