Rede de Intrigas

Por André Azenha

rededeintrigasRede de Intrigas (Lies & Illusions, EUA, 2009). Direção: Tibor Takács. Roteiro: Eric James. Elenco: Christian Slater, Cuba Gooding Jr., Sarah Ann Schultz, Christa Campbell, Robert Giardina, Al Madrigal. Comédia / Thriller / Ação. 100 min. (Cor).

Não confunda com o filme de 1976, que tinha Robert Duvall no elenco. Apesar de homônimo, aquele é um filme muito superior. “Rede Intrigas”, o atual, é uma produção realizada por um diretor experiente da tevê, Tibor Takács, lançada diretamente em home vídeo no Brasil e que tem jeitão de telefilme esquizofrênico.

Quem protagoniza são atores outrora respeitados e de sucesso, Christian Slater e Cuba Gooding Jr. O primeiro, assim como no cultuado “Amor à Queima Roupa”, quando atuou ao lado de Patricia Arquette em 1993, é apaixonado por uma loira e precisa escapar de uma quadrilha.

Slater interpreta Wes Wilson, um escritor de sucesso. No dia em que pede Samantha (Sarah Ann Schultz) em casamento, é espancado por sujeitos estranhos, que raptam sua amada, depois dada como morta. Os anos se passam, os mesmo vilões, liderados por Isaac (Gooding Jr.), reaparecem em busca de diamantes que a antiga paixão do escritor teria roubado e escondido. Pelo meio do caminho surge uma jornalista (Christa Campbell), que diz ser fã da obra de Wilson, e que se torna a nova namorada dele. A partir daí ele irá precisar descobrir o que realmente aconteceu com Samantha e reaver os diamantes para os inimigos.

Se a intenção do diretor era surpreender o público, fazendo o que poderia render um bom thriller descanbar para a comédia pastelão, o tiro saiu pela culatra. A partir do momento que as cenas “engraçadinhas” surgem a sensação é de desgosto. Seguisse o caminho do primeiro ato e talvez o filme não soasse frustrante. São sequencias constrangedoras que reafirmam a derrocada das carreiras de Slater e Cuba Gooding Jr.,  relegados a interpretar personagens medíocres em fitinhas B.

O elenco está deslocado, o roteiro é mal elaborado (dá para sacar todas as “reviravoltas”) e pior ainda é a direção de Takács. O cineasta conseguiu fazer tudo errado: as cenas de tiroteio, as brigas e a queda de um avião, cujos “efeitos especiais” são toscos ao extremo. Os únicos méritos do filme é que ele não se leva a sério e tem a beleza de Christa Campbell  e principalmente da loira  Sarah Ann Schultz. Mas para dar risada há “Agente 86” nas locadoras e admirar os atributos de ambas basta pesquisar fotos delas no Google.

4,0

André Azenha
Jornalista, crítico de cinema, produtor cultural, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Escreve uma coluna semanal, aos sábados, para o jornal Expresso Popular, colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante, em Santos. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi.

2 thoughts on “Rede de Intrigas

  1. Um dos piores filmes que eu já vi, as atuações são péssimas, o roteiro é terrível e a história é totalmente sem graça.. Não perca o seu tempo.

  2. Um dos piores filmes que eu já assisti! As cenas de ação são toscas, o Cuba Gooding Jr parece um não ator interpretando um vilão (algo digno de um Luciano Hulk em filme da Xuxa), o Christian Slater faz o papel do cara mais idiota do mundo, não dá pra entender como um cara daqueles consegue escrever um livro! E o diretor parece que além de não escolher bem os angulos de filmagem, não sabe fazer uma edição de imagens, e tampouco houve qualquer preocupação com a fotografia. Para falar verdade, parece que foi dirigido por alguém totalmente amador, sem nenhuma qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *