Cinema e poesia: Tudo Por Amor

Por: Regina Azenha

tudoporamor

Tudo Por Amor (Dying Young, EUA, 1991). Direção: Joel Schumacher. Roteiro: Richard Friedenberg, baseado em livro de Marti Leimbach. Elenco: Julia Roberts, Campbell Scott, Ellen Burstyn, Vincent D’Onofrio. Drama / Romance. 105 min. (Cor).

Sinopse: Uma garota pobre e extrovertida (Julia Roberts) consegue emprego como enfermeira de um jovem rapaz rico (Campbell Scott) que sofre de leucemia, e com o tempo, os dois se apaixonam.

Às vezes a vida nos faz enveredar por caminhos inesperados…

Quantos de nós, já vivenciamos
histórias de amor envolventes
como se armadilhas fossem colocadas
prá testar nossos sentimentos

São tantos os caminhos que seguimos,
mas eis que de repente, para surpresa e espanto
enfrentamos situações conflituosas
onde somente o amor, nos fortalece
para que a tudo sobrevivamos…

Momentos difíceis que a muitos faz desistir
de lutar, de tentar…e a tudo resistir…
mas, mesmo com sofrimento e  dor
milagres se fazem realizar
quando damos força e alegria
a quem aprendemos amar…

Nesse instante percebemos
que não existem obstáculos
que, a tudo podemos transpor,
pois nessa vida passageira
vale o que fizermos…
então, façamos Tudo por Amor.

tudoporamorum

Santista e faz poesia desde criança. Escreveu três livros: Mulher: Amor e Poesia, em 1986 (pelo qual ganhou o prêmio Robalo de Ouro Brasil 1989), Fragmentos & Mutações, em 1997 e Poesia a quatro mãos (2008), realizado em parceria com seu filho André. É admiradora do poeta e escritor J. G. de Araújo Jorge, e de autores como Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meirelles, Paulo Leminski, Mário Quintana, Fernando Pessoa, José Saramago, entre outros tantos. Entre os novos poetas, Pergentino Jr, poeta de Guarulhos muito talentoso, além dos santistas Valdir Alvarenga, Guida Linhares, Edilza de Souza Fernandes e Paulo Schiff. Amante da música, teve uma composição classificada entre as dez finalistas de um festival. Na Bienal do Livro do Sesc-Santos, Mulher: Amor e Poesia foi um dos livros mais vendidos entre os autores independentes. Amante das artes, atualmente exerce a atividade de artesã. Parte de seu trabalho pode ser conferido no blog. No CineZen, estará colaborando com poemas, crônicas, textos sobre os filmes que é apaixonada e apontando poetas que estejam despontando na cena literária.

7 thoughts on “Cinema e poesia: Tudo Por Amor

  1. Regina, com muita sensibilidade e lindas palavras você embelezou esta esquina do Cinezen, onde o amor é tudo, e tudo é por amor! Bravíssima!

  2. Waldemar,Cátia,Denice, agradeço por terem deixado seus comentários, todos muitos gentis. Procuro transcrever para o papel, aquilo que meu coração dita, que minh’alma sente…A presença de vcs. aqui é muito importante para mim, e para o site Cinezen.
    Que possamos nos encontrar outras vezes nesse cantinho tão especial.Beijos

  3. no meu caso estou me sentindo uma julia roberts….problemas pessoais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *