Appleseed: Ex Machina

Por: André Azenha

aplesed

Appleseed: Ex Machina (Ekusu makina, Japão, 2007). Direção: Shinji Aramaki. Roteiro: Masamune Shirow, Kiyoto Takeuchi. Animação. 104 min. (Cor).

8,5

Ano passado chegou ao mercado brasileiro o DVD do cultuado anime “Appleseed: Ex Machina”, que traz Shinji Aramaki (“Appleseed”, 2004) na direção e o celebrado cineasta John Woo (“Missão: Impossível II”, 2000) na produção. A obra é inspirada no popular mangá criado por Shirow Masamune (“Ghost in the Shell”), lançado em quatro volumes na segunda metade dos anos 80.

Com enredo afiado, o filme de estética ciberpunk e narrativa de cinema de ação é recheado de pequenas metáforas que fazem crítica à imposição de uma nação poderosa (quem será?) sobre países mais pobres, fanatismo religioso e, claro, a propensão do ser humano à violência.

O ano é 2133 e metade da população foi dizimada por uma grande guerra não-nuclear. A cidade-nação Olympus representa o que restou de esperança no planeta e é governada pela inteligência artificial GAIA, sendo administrada pelos bioróides – humanos gerados artificialmente com DNA modificado a fim de suprimir o ódio e outros sentimentos fortes.

Deunan é uma jovem guerreira e Briareos, um soldado ciborgue veterano. Os dois, parceiros e namorados, integram a ESWAT, uma força de elite que atua em Olympus. Tereus é um novo e experimental bioróide que passa a fazer parte do grupo. Criado a partir do DNA de Briareos, ele tem a fisionomia que sua matriz possuía antes dos ferimentos que o transformaram em ciborgue e também a mesma habilidade para o combate.

Quando uma força misteriosa – cuja intenção é impor sua própria visão de “paz mundial” – promove um violento ataque a Olympus, ameaças como terrorismo ciborgue, nanotecnologia mortal, fundamentalistas fanáticos e a crescente tensão da população, colocam em risco a ordem da sociedade. Além de evitar o pior, Deunan terá de lidar com um fato novo: Tereus está apaixonado por ela.

Apesar de se passar no mundo futurista de “Appleseed” criado por Masamune, a nova produção não é uma continuação da trama de 2004, pois tem visual mais sofisticado e os fãs encontrarão um novo começo, com personagens já conhecidos vivendo novas história.

O filme surpreende e também deve agradar aos fãs das fábulas de Philip K. Dick, o autor do clássico “Blade Runner”, “Minority Report”, entre outras sagas futuristas. Já os cinéfilos ainda poderão fazer uma conexão com outra animação recente passada no futuro: “Renaissance“.

O DVD de “Appleseed: Ex Machina” possui um disco, tem áudio em inglês, português, espanhol e francês, legendas em português, inglês e espanhol, e extras com comentários de John Woo e Shinji Aramaki. Um presente para os fãs do gênero no país.

André Azenha
Jornalista por formação, crítico de cinema, produtor cultural, pesquisador, curador, assessor de imprensa. Criou o CineZen em 2009. Colaborou com críticas semanais nos jornais Expresso Popular e quinzenais no jornal A Tribuna. Colabora semanalmente com a Rádio Santos FM. Escreveu entre 2012 e 2017 para o blog Espaço de Cinema no G1 Santos. Criador e coordenador do Santos Film Fest - Festival Internacional de Filmes de Santos, CulturalMente Santista - Fórum Cultural de Santos, Nerd Cine Fest e PalafitaCon. Em 2016 publicou o livro "Histórias: Batman e Superman no Cinema". Já colaborou com sites, revistas e jornais de diversas partes do país. Realizou 102 sessões de um projeto de cinema itinerante. Atualmente participa do projeto Hora da Cultura, pela Secult Santos, levando sessões de filmes e bate-papos às escolas da rede municipal. Mestrando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi. Escreveu sobre cinema para sites, jornais e revistas de Santos, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Limeira e Maceió. www.facebook.com/andreazenha01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *